Textos Sugeridos pelo Autor

29 de dezembro de 2008

O Amor Acontece

O amor está no ar,
Lençóis em chamas,
Corpos ardentes a se tocar,
Corações declarando que se amam!

Meus olhos procuram teus olhos,
Sobre teu corpo minhas mãos deslizam,
Nossos sonhos se realizam,
Os pensamentos sincronizam!

Quando o amor chegar,
É melhor se entregar,
A alma leve agradece,
No coração, uma prece!

Nesta harmonia,
A gente se aquece,
Já amanhece o dia,
Mas o amor ainda acontece!

24 de dezembro de 2008

A Vida Ensina

A tarde chega e o sol se vai,
Tudo em volta faz-me lembrar você,
O curioso é que no peito,
O coração se aperta e eu meio sem jeito,
Não consigo mesmo te esquecer!
A noite chega e no escuro do meu quarto,
Rolo na cama e a saudade aumenta,
Tenho um coração que já não agüenta,
Tanta solidão!

É que ele não sabe, não pode perceber,
Amor a gente não escolhe,
Apenas sente que ama,
Quando acende as chamas!
Deixa rolar, deixa acontecer!
Isto acontece com a gente,
Quando se está amando,

O dia não passa, a noite não termina,
Mesmo acordado parece estar sonhando,
Mas é assim, a vida ensina!

22 de dezembro de 2008

O Tempo Não Passa

Sempre olho para aquela janela,
Que abriu se para a vida,
Que me trouxe você!
Que me fez reviver!

Por isso ainda olha para aquela janela,
Nela reluz teu olhar,
Dos teus lábios vejo o sorriso,
Do teu coração sinto o pulsar!


Vejo as flores no jardim,
E nelas teu perfume exala
Sem medidas, espalha!

E assim o tempo não passa,
Sinto isto quando você me abraça,
Aperta-me, amassa-me e vive só para mim!

21 de dezembro de 2008

Cidade Grande

Meus passos segue a multidão,
Caminho a passos largos, talvez sem direção,
Para onde será que vai tanta gente?
Que caminha nesta cidade,
Em busca de um sonho, de felicidade!
O tempo passa a gente não sente!

Cidade grande,
Alegria para alguns, desilusão para outros,
Vivendo a mercê da fome, das lutas, idas e vindas!
Cidade grande!
Ilusão vivida, ilusão perdida!
Quando o sonho se acaba,
Quando a esperança se desaba!
Não dá para pensar, é hora de voltar,
Voltar ao começo, para as origens, para o berço!
Começar tudo outra vez!
Sem medo, sem insensatez!

Cidade grande!
É sonho que fica para traz,
É sonho de uma vida que hoje se desfaz,
Cidade Grande,
É preciso ter os pés no chão!
Para não magoar vida e entristecer o coração!

20 de dezembro de 2008

Marcas de Um Amor

É o tempo que passa,
No infinito voa!
Meu coração em desatino,
A soluçar por uma coisa atoa!

Laços de uma vida sofrida,
Recordações de uma alma ferida,
É assim que vivo meus dias,
Pra esquecer todo amor que sentia!


São as marcas de um amor,
No tempo partiu deixando esta dor,
Momentos lindos esquecidos ao vento,
Vividos apenas por um momento!

Agora são lembranças,
Mas no infinito ainda reluz uma esperança,
Assim acredito, nesta vida encontrar uma herança,
Pois sei que quem espera sempre alcança!

Você

Você é a saudade na minha vida,
Os encantos dos momentos que vivi,
Tornastes dor no instante da partida,
E apagou-se a aurora, pois te perdi!

Ainda hoje me encontro sonhando,
Sentindo seus lábios, seu corpo junto ao meu!
Mas no peito um coração soluçando,
Pois este amor há muito se perdeu!


Às vezes em meus pensamentos,
Ouço seus passos ressoando ao vento,
Sinto então a minha alma soluçar!

E envolto pela saudade,
Imagino ainda ter felicidade,
E vivo na esperança de um dia lhe encontrar!

Olhos Negros

És como uma marta virgem,
Possui encantos, é misteriosa,
Teu corpo moreno revela segredos,
Requer sempre carinhos, é dengosa!

Gosto deste teu jeito de ser,
Esta maneira de olhar,
Seus olhos negros, negros como a noite,
Revela pureza, um doce jeito de amar!


Sua boca é macia, seus lábios sabor de mel,
Uma sedução que me consome em desejos,
E na penumbra serena da noite,
Sinto em meus lábios o ardor dos teus beijos!

Oh! Fruta silvestre,
Por mim tão desejada, cobiçada!
Sob o luar desta madrugada,
Estou a sonhar contigo, minha doce amada!

18 de dezembro de 2008

É Assim Que Eu Te Amo

Como expressar um sentimento tão profundo?
Não sei dizer, mas você é tudo,
Logo não basta dizer, eu te amo!
Onde estiver sempre irei gritar,
É você que eu amo!
E se alguém me perguntar,
Irei dizer mais uma vez!
Muitas foram as ciladas, mas vencemos
Levarei comigo sempre esta esperança
Inda que alguém queira nos magoar,
Terei sempre uma razão para dizer!
Amo te, como nunca amei!
Ora, às vezes não sei mesmo como dizer,
Não adianta insistir, não preciso dizer, tente entender, é assim que eu te amo!




Veja que sem você
Isto tudo é nada, perde a razão de ser,
É como sonhar e não acordar,
Imaginar e não alcançar!
Rios de águas cristalinas fluirão em nossas vidas,
A nossa verdade sempre será o amor!

Noêmia, hoje 18 de Dezembro de 2008, faz 15 anos que começamos nossa jornada, sei que muitas foram as lutas, mas maior sempre foi aquele que estava e está conosco nos fazendo fortes a cada novo dia.Não se esqueça que mesmo sendo assim deste meu jeito louco, estranho, as vezes distante, mas eu te amo, sempre te amei e vou amar sempre!



16 de dezembro de 2008

Outra Vez

O telefone toca,
Mas você não se importa,
É apenas o meu grito,
Que ecoa no infinito!

Sei que você não quer me ouvir,
Mas tenho que mais uma vez lhe pedir,
Não deixe a noite chegar,
E envolver-me no escuro,
Acredite, eu juro!

Ninguém te ama como eu,
E sei que você também não esqueceu,
Das noites lindas de luar,
De nossos corpos a se tocar,
E numa paixão eterna se entregar!

As estrelas estão a brilhar por nós,
Então vamos juntos a sós,
Se amar e novamente se apaixonar!

Eu te amo! Ouça quando eu chamo,
Deixe-me te abraçar,
E outra vez vamos amar!

Barco de Papel

A chuva cai lá fora,
Aqui dentro a minha alma chora,
Esta dor que me aperta o peito,
Parece não ter fim, não tem jeito,
Não dá para explicar!

A noite chega e é tudo igual,
Mais uma vez sem você,
Meu coração já não pode bater,
Sinto perder a batalha,
Contra um mal que se espalha,
Sobre este mar sou barco de papel!

Volta e diz que seu amor ainda é meu,
Volta e diz que ainda faço parte dos sonhos teus,
Que você não me esqueceu!

Espero tanto este momento,
Sou menino, tão carente,
Que guarda no peito um amor ardente,
E em forma de versos entrego a te.

15 de dezembro de 2008

É Tudo Sempre Igual

Pelos jardins ainda vejo flores,
O poeta ainda fala de seus amores,
E ainda há quem grite com suas dores,
É tudo sempre igual!

Será que nada vai mudar?
Até quando o inocente irá ter que pagar?
Pelo certo, pelo errado, sem uma corte para apelar,
Será isto o triunfo do mal?



Quem irá clamar por mim,
Gritar e dizer chegou o fim,
É hora de voltar para casa,

Deixe de lados as armas,
Acabe agora com este carma,
Use os braços e a força de suas asas!

E hora de voar,
Voe mais alto que puder,
Não importa o que vier!

A batalha já foi vencida,
Chegaste no ápice desta vida,
É a liberdade que acabou de chegar!

14 de dezembro de 2008

Cheiro de Amor

É noite... Penumbra... Doce calmaria!
Um cheiro suave, cheiro de amor,
Sinto a maciez do teu corpo, teu calor,
Teus lábios macios, que só prá mim sorriam!

São encantamentos de um sonho, fantasias,
É brisa suave a soprar-me com carinho,
Palavras sussurradas bem de mansinho,
Sereno sobre a relva molhada no alvorecer do dia!

Doces encantos nas fantasias destes sonhos,
Eu que outrora tão tristonho,
Encontrei a razão de viver...

Caminhando por uma estrada deserta
Esperança! Que nada, era quase incerta,
Tudo que senti, foi vontade de te ver!

13 de dezembro de 2008

Meu Norte

O vento sopra forte,
Procuro em você o meu norte,
Seja minha brisa, devolva-me a calma,
Sara minha alma,
Faz-me amar!

Grito aos quatro ventos,
O quanto eu quero sentir teu alento,
Teus braços leves a me envolver!

Teu coração batendo só por mim,
Teus olhos brilhando iluminando meu caminho,
Trazendo a paz do seu carinho.

Quero gritar que eu amo!
Em meu coração eu te chamo,
Então vem, toca em meu ser,
Com teu amor me faz crescer!
Se por ti eu posso viver,
Então não me deixe te perder!

12 de dezembro de 2008

Vale a Pena

Só não sofreu,
Quem não viveu o drama,
De um ser que ama,
E que por outro padeceu!

O coração bate no peito,
E esta dor que inflama,
Mantendo acesas as chamas,
Desse amor bonito, perfeito!


Amor este que nos dá o direito,
De ser mais um sonhar,
Tal qual uma nau navegar,
Contra o vento, sob o sol,
De qualquer jeito!

Tudo isto vale a pena,
Ainda que contra a realidade,
Pra alcançar a felicidade,
Toda luta se torna pequena!

Faz Parte da Vida

Tudo começou com um sorriso,
Do seu mundo fiz meu paraíso
E hoje já não consigo me encontrar!
Sem você do meu lado,
Sou resto de um passado,
E o tempo só me faz chorar!

Agora me vejo perdido,
Bem sei que sou algo esquecido,
Quem vai se lembrar!
Nesta luta contra o destino,
Mesmo que me torne um andarino,
Sempre irei te amar!

Tudo que sonhei,
Que na vida almejei,
Em Ti pude contemplar,
Não pensei que o destino,
Que me parecia algo tão divino,
Me desse um motivo para chorar.

Esta triste realidade
Revela-me tão grande ansiedade,
Não posso suportar!
O amor que procurei,
De corpo e alma me entreguei,
Nem sei se vou encontrar!

Hoje já não me resta nada,
É tão longa minha caminhada,
Nem mesmo sei se vou chegar!
Mas isto não é o fim,
Ainda que sofrendo assim,
É preciso lutar e continuar!

Não importa a imensidão do mar,
Nem o risco de naufragar,
Faz parte da vida,
Não temer os perigos,
E mesmo sem um abrigo,
Continuarei nesta lida!

Tédio


Quando te conheci,
Vi uma luz brilhar em meu caminho,
Senti de perto seu carinho,
Tudo que pedi, estava ali!

A realidade foi mais forte,
Não tive tempo para sonhar,
Nem a chance de te amar,
Envolto fui por uma triste sorte.

De ser na vida um sonhador,
Vivendo em busca de um amor,
Sem ter aonde ir, nem aonde chegar!
 Assim me fiz caminheiro errante,
Buscando em algum lugar distante,
O amor daquela que só me fez chorar!

Tu És

Tu és a doce poesia,
Que encanta meus dias,
E em meus sonhos traduz a vida,
É o lírio que enfeita este jardim,
A brisa que sopra neste mundo sem fim,
É o meu desejo de continuar nesta lida.

Tu és este doce amor,
Que me faz esquecer esta torpe dor,
Dando-me asas para voar!
É a alegria numa noite triste,
Um refúgio se a solidão insiste,
Tenho em Ti alguém para amar!

É o silêncio no anoitecer,
Uma esperança a cada amanhecer,
E a razão que me faz sentir,
Que a vida é rodeada de sonhos, doces encantos,
Momentos de poesia, lindos cânticos,
A mostrar-me todo este prazer de existir!

Lembranças

Tudo se acabou,
Como tudo se acaba,
Como um teto que desaba,
Só a saudade restou!

Quando passo naquela rua
Fico a olhar aquela janela,
E contemplando numa longa espera,
Aquele cantinho que me traz lembranças suas!
Com sua ausência,
Ficou um vazio em teu lugar,
E o que faço eu para apagar!

Essas lembranças loucas,
Que me traz no peito o desatino,
Marcaste tão triste o meu destino!

Viver de Sonhos

Adeus foi tudo que ouvi,
Naquele momento me senti sozinho,
Distante do mundo perdido em meu caminho,
Buscando ali tudo aquilo que perdi.

Nesta busca ofegante,
Procurei esquecer o que me feria a alma,
Noite e dia tirando-me a calma,
Era um barco em naufrágio sobre um mar bravejante.


De repente tudo parou,
Ali meu sonho se acabou,
Então conclui baixinho logo ao acordar.

Que viver de sonhos, é navegar contra o vento,
É buscar em nada algum sentimento,
Já que a realidade não avisa quando vai chegar!

Ilusão Perdida

Cai a tarde,
A noite é escura e fria!
Consigo me lembrar daquela velha nostalgia,
Lembranças dos tempos que no tempo se perdia.
Ainda há quem acredite no “pra sempre”,
E insiste que ele sempre existe,

Mas uma ilusão perdida,
Uma alma ferida,
Leva tempo para se curar!
Mas se parar pra pensar,
A verdade é uma só,
Parece música de uma nota só...

A gente cansa de ouvir...
Levanta, sacode a poeira,
Deixa de besteira,
O mar está calmo comece a remar,
Falta pouco e o barco já deve ancorar.
Tente outra vez,

Se parar agora não verá a glória,
De quem luta por uma vitória,
E escreve seu nome na história!
A gente aprende quando erra,
Recomeça quando um ciclo se encerra,
E assim deve ser!

Só não se pode é deixar de acreditar,
Nunca deixar a esperança se perder,
Um dia a gente deve se encontrar!

10 de dezembro de 2008

Eu Amo Tudo Isto

Olho para o relógio e vejo que o tempo não pára,
O que vejo agora, posso não ver depois!
É tudo mesmo assim!?
Não pergunte a mim, não posso responder!
A vida é assim, lute para sobreviver!

Somos parte deste universo,
Viajamos nas batidas deste compasso,
No pulsar de um coração,
Que hoje ama, sofre chora e até padece,

Mas é assim, um dia a gente esquece!
Encontra outro coração se apaixona outra vez,
Deixa de lado toda aquela insensatez,
Sorri e grita para o mundo inteiro ouvir,
Eu amo tudo isto!
É por isso que a vida é assim,
Não se apegue a um mal desnecessário,
Deixe a brisa e o vento te embalar,

Porque Importante não é saber que “Da vida nada se leva”,
Mas sim o que podes deixar, estando de passagem por ela!
A vida é assim!
Então viva... Deixe viver!

9 de dezembro de 2008

Você Foi Mais

Senti sua mão me segurando,
Meus cabelos afagando,
Onde andas que já não a vejo mais?
Não posso mais gritar a ti os meus “ais”!

Você se foi, como todos que um dia deve partir,
Hoje vejo brilhar no céu uma estrela,
Todos os dias na janela eu venho vê-la,
Só assim ainda encontro alento,


Pra relembrar aqueles momentos,
Momentos que você foi mais!
Momentos que você lutou por nós,

Momentos que se fez magia,
Para nos alegrar todos os dias,
Para celebrar mais um dia de alegria!

Você foi a rocha,
A brasa, as chamas, a tocha,
Você foi mais!
Muito mais... Você foi Mãe!
Minha Mãe!

Esqueci de viver

A gente para, pensa e olha para passado,
Lembranças das tardes de dias ensolarados,
E nós ali abraçados!
Tudo isto era amor?
O tempo passou, como um forte vento,
Levantando poeiras,

Quebrando barreiras,
Escondendo as pegadas,
Aquelas que ficaram na estrada,
Juntamente com os juramentos,
Que fizemos naqueles momentos,.

Antes de dizer adeus!
Agora que tudo acabou,
Que o sonho terminou,
A ficha caiu!
Mas não dá para esquecer,
As noites frias que me fez padecer,
As lágrimas quentes que me fez chorar,

As juras eternas que me fez ouvir,
Os carinhos loucos que pude sentir!
Você marcou,
Você matou,
Um grande amor que não pediu para nascer,
Que não teve tempo de crescer,

Que não teve tempo para viver!
Não quero lembrar de todos seus devaneios,
Por eles esqueci meus anseios,
Esqueci de viver!
Hoje também , esqueci de você!

Não Desanimes Nunca

Não importam as lágrimas, as barreiras
O sofrimento vem para cada um numa medida certa
E Ele não nos dá aquilo que não podemos suportar
Maior é o que está conosco podes acreditar
Inda que soframos angústias, perseguições
As nossas forças sempre se renovarão,
Naquele que nos fortalece!
As lutas que passamos hoje
Serão os alicerces para nossa caminhada na eternidade
Caminharemos juntos, como sempre estivemos!

Isto ninguém vai nos tirar, é uma conquista!
Meu amor por ti nunca mudou,
Estou contigo, estás comigo, seremos um!
Ninguém irá tirar o que temos jamais!
Tenhamos convicção e esperança sempre
O Deus que servimos não nos deixará só!
Verá mil caíres ao teu lado, mas não serás atingido!
Isto é que diz as escrituras, só devemos acreditar
Este vale chegará ao fim, veja a luz no fim do túnel!
Indignados fiquem nossos inimigos,
Regozijemos no Senhor, autor de nossa fé,
A luta vem e passa, não desanimes nunca!

5 de dezembro de 2008

Folhas Secas

Qual o preço da dor,
De quem perdeu um grande amor?
Quem pode contar as lágrimas gotejadas,
As noites mal dormidas,

Os sonhos esquecidos?
Qual a razão para sonhar,
Se vamos acordar,
E o real esta ali preste as nos tragar!?


As vezes somos como folhas secas,
Levadas ao vento,
Nos perdemos em pensamentos,
Que nos traz de volta ao centro,

Centro de nossas incertezas,
De nossas angústias!
Daí vemos que o ciclo continua,
Passamos sempre na mesma rua,

Parece que nada mudou!
Que o que estamos vendo,
Já vivemos,
Que algumas vezes morremos,

Para ressuscitar e lutar novamente,
Renascer para um único objetivo,
Sobreviver...
Sobreviver a cada dia

Esquecer a dor sem anestesia,
E gritar consigo mesmo,
Já é dia, o sol raiou,
E recomeçamos tudo outra vez!

4 de dezembro de 2008

Amor

Amor,
Algo raro,
Se for pagar,
É caro!

Então onde buscar?
Na esquina,
Pedir para aquela menina,
Melhor não arriscar!


Por que procurar?
Sem amor não se pode viver,
Por amor não se pode morrer,
Então , vale apena amar?

Por amor muitos choram,
Vão embora,
Até contam as horas,
Então o que é o amor?

Será a paciência!?
De uma menina, a inocência?
De um jovem o vigor!?

Amor!
A gente não sabe,
Apenas sente,
Implora para que não se acabe,
Mas acontece com a gente!

A Vida é Assim


Hoje voltei àquela janela,
Não para esperar por ela,
Mas só pra ver como a vida é bela!
É linda de se ver,

É Feita para se viver,
Às vezes não conseguimos perceber!
Quando um amor se vai,
A gente chora e aquela dor que não sai,





Aperta o peito,
Pega a gente de jeito,
Não dá explicar!
Mas voltando aquela janela,

Onde a vista se fazia bela,
Hoje eu sei que não é!
Pois quando a gente perde a fé,
Rema forte contra maré,

E por mais que a solidão insista,
Uma esperança sempre existe!
Algo lá dentro nos diz, não desista!
Começamos tudo outra vez.

A vida é assim,
Enquanto não chega o fim,
O melhor que se faz,
É lutar por ela!

3 de dezembro de 2008

Recordações

Quero te chamar de amiga,
Mas como esquecer tudo que senti!
Como apagar as lembranças,
Que te traz de volta ao meu caminho?
Sei que na vida sonhos é ilusão,
Mas como não sonhar,
Se é neles que tenho seu carinho?
Um refúgio prá minha solidão!
Pelos caminhos ainda vejo nossos rastos,





Entre as músicas ainda ouço aquela nossa canção!
Talvez uma canção que só eu sinto,
Porque as marcas eu trago aqui dentro,
Estão gravadas em meu coração,
Pois o tempo não foi capaz de apagar,

Os sons daquelas palavras que lhe disse em sussurros,
Onde também de ti pude ouvir palavras!
Palavras, promessas e nada mais!
Como a brisa que entra por uma janela,

Como o relâmpago que surge no ocidente,
E se perde a caminho do oriente,
Assim foste tu!
Assim passou o que disseste ser aquele amor,

Hoje procuro esquecer a dor,
Que sua ausência me deixou,
Esquecer as tristes marcas,
Que sua partida me outorgou!

Sonho de Amor

Cai à tarde,
Vejo o sol se pondo no horizonte,
A noite vem,
Sombria e solitária,

Como sempre a envolver-me em sonhos,
Fantasias...
No meu peito uma saudade louca,
Um desejo ardente de te abraçar!


Apertar-te em meu peito e dizer baixinho,
Amo-te demais! Amo-te!
Beijar tua boca,
E numa fúria louca,

Sentir o calor
Que envolve o teu corpo.
Afagar seus cabelos,
Envolver-me em teus sonhos,

E te levar por um caminho,
Onde não haja espinhos,
Que não tenha fronteiras,
Somente o infinito!

E então viver nosso sonho,
Doce sonho,
Um sonho de amor!

Águia Solitária

Hoje me veio um pensamento,
E relembrei nossos momentos,
Como era lindo o nosso amor!
Agora vejo tudo acabado,
Pois estamos separados,
Como me dói o desamor!

Tudo que fomos,
E o que hoje somos,
Já se perde no ar!
Hoje sou águia solitária,
Numa busca imaginária,
Sem ter onde pousar!

O que me resta é um passado,
De um sonho apaixonado,
Do qual não esperava acordar,
Mas sobreveio-me a realidade,
E nesta grande fatalidade,
O momento de despertar!

Nestas alturas a voar,
Sigo a contemplar o céu e o mar,
Relembrando momentos de outrora,
Quando tinha seu amor,
Seu abraço, seu calor,
Mas hoje, somente a dor me assola!

Ontem... Hoje... Amanhã...

Ontem te procurei,
Por um amor ardente me entreguei,
Porém você não se importou!
Com meu coração dilacerado,
Em um canto qualquer ali jogado,
Simplesmente você me deixou!

Hoje eu tento te esquecer,
Embora tristezas venham me entorpecer,
Encontrarei algo que amenize esta dor,
Eu sei, não sou o único a chorar,
Por isso não deixarei de lutar,
Ainda serei vencedor!

Amanhã se me vires sorrindo,
Alegremente pelo caminho seguindo,
Saibas tu que isto a vida me ensinou,
Mesmo quando tudo parece perdido,
Mesmo que pareça desiludido,
É bom saber o mundo ainda não acabou!

O Vento levou

Os campos floridos, exalando seus perfumes,
Faz-me lembrar os lugares por onde passamos,
E contemplando os pássaros sobre os ramos,
Senti meu peito se arder em ciúmes!

Quantos sonhos perdidos pelo ar!
Quantas frases, juramentos esquecidos,
O tempo chegou veloz como o vento,
Destruiu os castelos e os sonhos ainda não vividos.

Aquele amor que ardia em chamas,
Com bravura o vento levou!
E as lembranças que ficaram na memória,
Lentamente o tempo apagou!

Amor verdadeiro

Ainda fico naquela janela,
Parece que estou a tua espera,
Mas sei que você não vem!
Que culpa tenho eu?
Meu coração não te esqueceu,
Ele não sabe, por isso sofro também!

As vezes toca o telefone,
Por um instante ouço sua voz no ar,
Acho que sinto teu respirar,
Mas é só a ilusão que me consome,
Você não vai voltar!

Dizem que se ama uma vez,
Se é verdade não sei dizer,
O amor é algo que não se ver,
Mas só pelo olhar se pode perceber,
Quando um amor é de verdade,
Não importa a distância, a saudade,
Sempre vai renascer!!

Nossos Segredos

Você foi meu primeiro amor,
Ao seu lado tudo era tão lindo,
Sentir o seu corpo junto ao meu,
A suavidade dos seus lábios Envolvia-me em um sonho,

Um calor...
Sob a luz do luar,
Nossos momentos se fizeram inesquecíveis,
Tudo parecia tão perfeito,
Por ironia do destino, sabemos nós,
Tudo se acabou tão de repente,
Hoje só nos restam às lembranças,
Envoltas pelo ar!
Em cada um uma história única,
Só nós conhecemos!

Pois juntos vivemos, por um instante nos amamos,
São segredos que não revelamos,
Como imenso carinho guardamos,
Pois são segredos de nós dois,
Castelos... Sonhos... Nossas muralhas...

Alegrias infinitas!
As águas passam pelo moinho e não voltam mais,
Perdem-se na imensidão do mar,
Assim fomos nós, a ruptura chegou!
Porém as marcas de nosso amor ficarão eternamente,

E sempre refletirá a vida,
Os sonhos que vivemos,
Os beijos que trocamos,

Sei que não vamos esquecer!
São segredos de nós dois,
Nem mesmo o tempo os poderá apagar!

Nasci prá ser...

Nasci prá ser...
O quê? Não sei!
Mas sei que sou nesta vida um sonhador,
E sonho com as flores, exalando seu perfume,
Sonho com o amor,
E ele me faz sentir a vida,

Sonho com minha amada
Talvez ela venha chegando!
Estou aqui esperando, soluçando,

A cada manhã vejo surgir uma nova esperança no horizonte,
E tal qual uma criança, que espera no colo da mãe estar,
Ofegante também vivo a esperar,

Com meu coração palpitante,
O doce momento de poder despedir-me das lágrimas,
E com carinho te abraçar!
De corpo e alma prá te em entregar,
Nasci prá ser...
O quê? Não sei...

Só sei que aprendi a amar-te,
E por lhe amar, já não sei por aonde vou,
Não conheço o caminho,
Muitas lágrimas já derramei,
Mas ainda vive em mim esperanças,
Um dia encontrarei aquilo que muitos dizem existir,

Felicidade! Doce felicidade!
Ela parece estar tão longe...
São tantas barreiras para transpor,
Sei que isto é parte desta busca,
Afinal que rosa há sem espinhos!
Que vitória desponta sem uma batalha!

Muito além deste mar,
Sei que existe outra vida,
E com certeza, vou alcançar!

Exilado

Em silêncio ouço a voz do vento,
Que me fala baixinho,
Palavras de carinho,
E sinto a vida renascer!

No meio ao jardim,
Até as roas e os jasmins,
Parecem que estão a sorrir!
E um coro de passarinhos,

Como um vento a estrugir,
Ressoa no infinito seu lírico canto,
Ah! Se eu pudesse,
Ser como os passarinhos

Em vôos rasantes a natureza contemplar,
Como as borboletas, sobre as flores pousar,
Ser como as pedras e nas cachoeiras me banhar!
Sou mais um exilado,

Tão distante de minha terra!
Pelo destino caí nesta sorte,
Mas lutando pela vida não temerei a morte,
Mesmo não sabendo onde meu barco ancorar,

Acredito que cedo ou tarde,
Ainda que minha alma se enfade,

Caminhando! Sempre caminhando!
De regresso estarei a caminho do meu lar!

Meu Grito

Gritei!...
Ouvi eco do meu próprio grito,
No silêncio,
Senti o vazio de quem busca o infinito,
Então chorei!...

Senti as lágrimas quentes,
Sobre o meu rosto caindo,
E apalpando meu peito,
Senti meu coração aos poucos se esvaindo,

É nesse grito,
Que exponho esta dor,
Que invade o meu ser,
É nesse grito,

Que chamo por você!
Com palavras não sei dizer,
Mas olhe em meus olhos,
Sinta no mais profundo da alma,

Eu te amo!

Tantas coisas

Sabe!...
Eu quero estar ao seu lado,
Em todo momento, Estender-lhe minha mão amiga,
Quando sentires o peito apertar,
E quando não conseguir ver além,
Quero estar presente,
E fazer-te saber, pode contar comigo!
Se estiveres sorrindo,
Talvez chorando,
Quero tomar parte nestes momentos,
Só assim poderei lhe dizer,
Que sou tão feliz,
E até esqueço que já chorei,
Que a esmo caminhei,
São tantas coisas,
Tornam se infinitas,
Mas sei que isto não é tudo,
O mais importante quero que saibas,
Posso dizer em uma só frase,
É porque eu te amo!