Textos Sugeridos pelo Autor

21 de novembro de 2011

Reflexão Tardia


Cada pedaço do meu eu,
Quer um pedacinho do seu,
Fico sem saber o que dizer!

Mesmo que juntasse todas as letras,
Formando uns versos em um simples palavrear,
Ainda ficaria sem saber!

Se eu digo que é contigo,
Que quero findar os meus dias,
Dirás que estou a me iludir,
Que ainda é muito cedo pra decidir,
O que na vida inteira temos pra viver!

Sofrimento meu, reflexão tardia,
Alma triste envolta em pura melancolia
É um pedaço do meu eu,
Que vives em busca de um pedacinho seu!

Quisera ter seguido a razão,
Não enganar meu coração,
Agora tento achar em outros braços,

Talvez recuperar um pouco do que se perdeu,
Mas juntando todo desespero meu,
Continuo a procura do Seu e do Meu Eu!

18 de novembro de 2011

Sob a Luz do Luar


Não vou te procurar ao cair da noite,
Nem vou me desesperar se na lâmpada não tiver azeite,
Andarei sob a luz do luar!

Não irei chamar pelo seu nome,
Mesmo sabendo que a dor e a solidão me consomem,
Vou sentar aqui e sem pressa esperar!

Esperar que o sol se pusesse no horizonte,
Que sombras surjam entre os montes,
E que os ventos cheguem como uma brisa,

Vou me molhar na chuva fina que cai,
Deixar se misturar com as lágrimas que dos meus olhos saem,
Encontrar alguém que saiba de que o meu coração precisa!

Já me cansei de ver meus olhos chorar,
Não tenho mais nenhum lenço para enxugar,
Preciso de alguém que caminhe ao meu lado,

Que me dê sua mão ao sentir que estou no chão,
Que me faça visualizar o amor e a razão,
Que me faça feliz e sentir que sou amado!

14 de novembro de 2011

Cortina de Fogo


Cada dia é uma promessa,
Não precisamos ter pressa,
Tudo vai acontecer como deve ser!

Se de meus olhos lágrimas rolarem,
Se alguma saudade no peito bater,
Sem pressa nenhuma eu vou estar!

Vou esperar mais uma noite passar,
Ver um novo dia chegar,
Se por acaso chorar e daí? O que importa?


Já abri mesmo janelas e portas,
Deixa entrar os ventos que tragam felicidade,
Um novo sonho de liberdade!

Meu caminho é incerto,
Ora sobre o mar, ora no deserto,
Às vezes nas estrelas, tenho mil maneiras,

De olhar a vida, sentir o tempo,
O soprar da brisa nas cortinas da janela,
Sentar na calçada numa noite fria e esperar por ela!

A felicidade que brota em um sorriso,
Em um abraço, em uma palavra que me diz tudo que eu preciso,
Tudo que eu preciso ouvir e isto não têm preço!

Às vezes caminhar solitário me faz um milionário,
Não quero caminhar entre a multidão e me ver solitário,
Vivo a vida que tenho recebi a parte que mereço!

Cada um tem sua história, a minha eu faço agora,
Viajo numa cortina de fogo e não temo o que passa do lado de fora,
Se hoje aqui cheguei é por que existe uma razão,

Isto me faz caminhar mesmo que digam que não,
Que não adianta lutar, pois a batalha é perdida,
Sei aonde cheguei e o que mais quero alcançar!

11 de novembro de 2011

Meu Silêncio

Eu me calei pra ouvir o teu silencio,
Ouvir a tua voz através do vento,
Sentir o teu cheiro junto ao meu travesseiro,
Eu me calei quando simplesmente pensei.

Pensei que poderíamos coexistir,
Sem nunca pensar em partir,
Sem nunca pensar em deixar de viver,
Se bem que a morte é o renascer da vida,

É uma passagem que não se pode recusar,
Devemos passar para o lado de lá,
Mas ninguém pensa que este dia chegará,

Preparamo-nos para vida e isto é o que importa,
O que vier depois disto é consequência,
É por isto que às vezes eu me calo
E choro sozinho no meu silêncio,

Tentando ouvir os lamentos que a alma tem a dizer,
Hoje serei melhor que ontem!
Amanhã serei melhor que hoje...

Não! Não sei isto já é o futuro!
E acredite no que eu digo, eu juro,
Do futuro eu sei que nada sei!

2 de novembro de 2011

Idas e Vindas

Amo e não sei se devo amar,
Se me entrego e deixo-me levar,
Enquanto isto viajo nas estrelas,

Dia após dia eu quero vê-la,
Já não sei conduzir meus pensamentos,
Confunde-se com os meus sentimentos.



Será que tudo é um sonho meu?
Isto não é real, não aconteceu!
Acho que meu coração ainda não percebeu,

Isto é um jogo, se perde se ganha,
ÀS vezes se arranha,
E a gente vê passar a vida que não viveu!

Sei que não precisa ser assim,
A vida se renova da muitas voltas,
E numa destas idas e vindas,

A gente se encontra no meio do jardim,
Colhendo rosas, margaridas ou jasmim,
Pode ser destino, ou prenuncio do fim!

A gente sempre espera que o amanhã seja melhor,
Isto faz com que a vida seja brilhante,
Sonhos são possíveis, mesmo que distante,

Por isto vivo cada dia intensamente,
Não penso em ser diferente,
Amanhã será outro dia, se acontecer,
Assim há de ser!