11 de outubro de 2012

Abraça-Me

A chuva cai lá fora,
 E eu não vejo a hora,
 De te ver outra vez!

 Ainda não perdi meu medo,
 Contar-te meu segredo,
 Talvez minha insensatez!

 Se estou perto de você,
 Não sei bem o que fazer,
 Daí vem o desespero!

Quando consigo me aproximar,
O medo vem me assombrar,
Não sei o que faço com este meu destempero.






 Se entendes o meu sentimento,
 Livra-me deste tormento,
 Então me abraça e me beija!

 Não me deixe falar,
 Não permitas que eu venha a acordar,
 Estar em seus braços é tudo que meu coração deseja.




29 de setembro de 2012

Dia de Intenso Desamor

Tem dia que é chato;
Tanto sol e calor
E meu corpo não sente.
Tudo tão pacato,
Num intenso desamor..
Eu sequer me sinto gente.

Verdades e mentiras já contadas
Se tornam indolentes e levianas.
E eu tão indiferente
Não sinto as pedradas,
Nem o coração em chamas.
Já nem penso mais na gente.

Não deveria ser apenas um dia
Nem tão somente uma fase,
Eis o resultado de uma ida
Que não sabia aonde ia,
Pedia a Deus que tudo acabasse,
Que interrompesse a vida.

Dar fim não adiantaria
Nada se resolve ignorando
Já diziam os antigos
Que fugir não ajudaria
Mesmo assim eu ia jurando
Esquecer tais empecilhos

Como a vida tem suas viradas
Nos surpreende com frequência,
Coisa boa acontece,
Esqueço águas passadas,
Me livrando da carência.
Minha mente espairece.

Dias caminham em alegria
E eu vou sorrindo a cantarolar,
Experimentando o ciclo
Até que num lindo dia
A vida resolva revirar
E novamente sacanear comigo.

22 de setembro de 2012

Foi Assim

Eu não queria dizer,
Mas foi assim!
Tão difícil perceber,
A tua ausência em mim!

Deixaste a saudade,
Um espaço vazio,
É o preço da vaidade,
Arrependimento tardio!

Mas foi assim,
De repente tudo aconteceu,
A tristeza do fim,
A angústia do adeus!

Será uma noite fria,
Um espaço vazio na cama,
Talvez por ti eu gritasse,
Sei que ouviria se eu chamasse.


21 de setembro de 2012

Pensamos Que Tudo Acabou

A tristeza me puxou pelo pé,
Me mostrou quem ela é.
Fiquei só no meu canto.

Me afoguei em meu aquário,
Me escondi feito otário.
Eu perdi meu encanto.

Tem coisas que nos desgostam;
As circunstâncias nos mostram
Que talvez não valham pena.

E nós inocentes, cansados, lamentamos
Posteriormente, e pensamos
Em tirar a vida de cena.

Pensamos que tudo acabou,
Achamos que se foi o vigor,
E sobraram apenas lembranças.

Mas hoje eu te li, amor!
Que bom que você de mim lembrou
E relembrou que somos crianças

Que tudo que vivemos
Errando nós aprendemos
E sobrevivemos pra tentar novamente.

E agora aqui estou eu
Com a força que Deus me deu
Refazendo os planos da gente.





20 de setembro de 2012

Sonhos em Desvario

Quando o mundo nos tenta prender
Tirar a liberdade de ação
Tiramos os pés do chão

Livres queremos ser
A fantasia escancaramos
A imaginação escalamos

Amanhã será um novo dia,
E quem impedirá a fantasia?
Custa nada sonhar..

Voos altos alçamos
Da realidade não lembramos
E ousamos acreditar


Livres e soltos nem percebemos
Que de limites a vida é formada
E que nem tudo nela é balada

E se ora dificuldade encontramos
Em lamentos paramos no caminho
Com os sonhos em desvario

E frente à realidade
Decidimos a continuidade
Tentamos ignorar o fim da estrada

E sonhos que foram nada
Afloram novamente
E dão vida à novas sementes.


18 de setembro de 2012

Arte da Vida


A vida é uma arte,

Brilhos, amor e fantasia,

Liberdade que às vezes nos prende.


Lutar e buscar a cada dia,

Algo que sempre nos surpreende,

E de que a alma se farte!



Embora uma liberdade limitada,

Envolta por uma teia,

Que nos cerca e rodeia.


Paga-se o preço,

Pela ilusão, o sonho, a utopia...

É a liberdade pelo avesso!


A arte então consiste em sonhar,

Liberdade para amar,

Viver o momento, sentir a glória!


Fantasiar, viver uma história.

E se o real lhe bater a porta,

Diga-lhe que apenas... o momento é o que importa!





14 de setembro de 2012

Teu Adeus

Sonhei,
Tínhamos chance,
Reviver nosso romance,
Mas acabou como vento,
Poeira!

Chorei,
Nunca pensei,
Ouvir teu adeus,
Mas aconteceu entre nós,
Lamentos!




Agora,
Somente lágrimas,
Todo sonho acabou,
Já não sentimos mais,
Nada!

Adeus,
Para sempre,
Até nunca mais,
Já não falaremos mais,
Jamais!

13 de setembro de 2012

Desafiar


Desde que penso existir
Os sonhos me tomam, dominam,
A viver me ensinam,
Sem desistir.

Algumas vezes o dia parece cinza,
A tristeza friamente aparece
E desde que amanhece
Não reparamos na brisa.

Mas nesses dias tristonhos
Eu não me calo,
Até sozinha eu falo,
Alimento meus sonhos.

Algumas pessoas entristecidas
Simplesmente fecham-se,
Em suas mágoas escondem-se
E pela alegria são esquecidas.



Tristemente não entendem
Que a felicidade depende de nós
Desatando todos os nós
Que por acaso nos prendem.

E se a tristeza muito nos diz
O jeito é desafiá-la,
Nossa determinação gritá-la:
Eu quero ser feliz!

12 de setembro de 2012

Recolorindo

Existem momentos sem cor
Quando nada faz sentido
Tudo que possamos ter tido
já perdeu seu valor.

Momentos em que as intenções
Chegam ao ápice de seu desamor.
E questionamos a dor,
Procuramos realizações.

E quando tudo parece perdido,
Avistamos um ponto de luz
Que fortemente seduz
Apontando-nos abrigo.



E ali nos entregamos fragilmente
Como única solução,
De bandeja, o coração
É erguido serenamente.

E os planos de fumaça
Vão ganhando forma.
Aos pouco tudo se transforma
E a escuridão passa.

Passa como chuva de verão.
A vida refrigerando,
Os sonhos realizando,
Confortando o coração.

E tudo tem mais brilho,
Aumentam as inspirações,
Rendem canções
Sobre o novo colorido.

11 de setembro de 2012

Retroceder Jamais

Já não chamo por ti,
Nem me lembro de quando te vi
Você não significa nada!

As lágrimas que chorei,
Com o tempo enxuguei,
Ficaram para traz na estrada.

Não preciso dizer,
Sei que irás perceber,
Meu caminho agora é outro,





Os momentos ruins ficaram para traz,
Você não ofusca mais minha paz,
Quebraram-se as algemas, ando solto!

Brigar com a solidão,
Para que? Não tem clima e nem razão,
Pra dizer a verdade, não preciso mais!

Ao meu coração digo apenas a verdade,
Já conquistamos a nossa liberdade,
Agora Retroceder jamais!

7 de setembro de 2012

Desamor

Céu azulzinho,
Era meu mundo quando tu estavas nele;
Sem nuvens escuras,
E a chuva que vinha era pra lavar nossas ardentes almas.

Porque somente tu me acalmavas
Com teu olhar, tuas loucuras,
Teu prazer de existir.

Mas a tempestade comodamente acabou por vir
E esvaziou-me,
Deixando o vazio, o desprazer,
A falta de objetivo.

Porque você era um bom amigo.
Pena que o tempo levou o que havia em mim
Por ti.

4 de setembro de 2012

Inocência


Eu te queria,
Mas dizer-te não saberia,
Faltavam-me as palavras,
Imagino o que pensavas!

Olhos nos olhos,
Um beijo e nada mais,
Encabulado eu me enrolo,
Mas e daí diferença não faz!

Inocência estampada no rosto,
Ardendo por dentro e na boca o gosto,
Daquele beijo ardente!

Quero perder o meu medo,
Revelar-te meus segredos,
Com este amor meigo, doce e inocente!

1 de setembro de 2012

Soneto da Solidão


As palavras sumiram,
O coração deleita em dor,
A solidão e a lua se uniram,
Tripudiando sobre o meu dissabor!

Ouço o silencio da noite,

Sinto o vento a balançar as cortinas,
Mesmo suave se traduz em açoites,
Cortante como uma guilhotina!





A penumbra traz aconchego,

Devolve a paz e o sossego,
Um momento pra sonhar!

Então acredito na razão,

E ouço tão somente meu coração,
Que simplesmente pulsa por amar!

18 de agosto de 2012

Utopia


Teu coração é teu guia, segue-o,
Idas e vindas é parte de todo ser,
Embora tentassem ser diferentes,
Guiamo-nos por algumas ilusões,
Ou por inúmeras paixões!

Esta parece ser a sina de todo ser,
Diante da vida que se passa no decorrer da existência,
Umas parecem mais felizes, outras não,
Às vezes sentimos que temos o mundo em nossas mãos,
Realmente até acreditamos nisto, parece loucura,
Dias vêm dias vão e caímos em si,
Olhamos para frente e notamos que tudo é tão diferente!

Lágrimas descem de nossos olhos,
Olhe só como somos frágeis e sensíveis,
Parecíamos tão forte, tão confiante,
Esta é a verdade, nossa realidade nua e crua,
Somos humanos, pequenos ou grandes podemos escolher!

Deus nos fez assim conhecedores do bem e do mal,
Ele sabe onde somos forte, onde somos fracos,
Uns tendem a caminhar sozinhos, fazem seu caminho,
São donos do seu querer, intitulam-se autossuficiente,
Deixam claro por suas atitudes, fazem acontecer,

Então quando o desespero bate a porta,
Depara-se com a realidade escondida numa utopia
Instintivamente voltam então ao ápice da razão,
Temos forças, mas também somos acometidos pela fraqueza, o medo,
Homem tirado do pó, pobre homem que sou!

10 de agosto de 2012

Pais e Filhos


Nada vai mudar nossa história,
Já foram traçadas nossas trajetórias,
Temos mesmo que viver assim?
Não precisa fingir que não consegue nada sentir,
Que não se lembra de tudo que perdi,
Jamais se esquecerás de mim!
Somos partes integrante de fortes sentimentos,
Que já superaram alguns momentos,
E assim gradativamente sei que vamos seguir,


Se o medo bate em nossa porta,
É natural, mas e daí será que isto importa?
Se lutarmos juntos será mais fácil conseguir!
Queria apenas nos teus olhos olhar,
E saber que em Ti posso confiar,
Que não estou a sós no mundo!
Que se de meus olhos uma lágrima rolar,
Um lenço não seria o bastante para enxugar,
Bastaria você, por ao menos um segundo.
Eu poderia dizer então o que sempre quis,
Ou talvez lhe fazer aquele carinho que nunca fiz,
Abraçar-te e nos deixar envolver,
Caminhar lado a lado pelo caminho,
Retomar o que perdemos estando sozinhos,
E a partir de agora começar a viver!
Recuperar parte do que perdemos sem saber,
Sem saber que diferente poderia ser,
E hoje não sofreríamos com tantos “ais”!
Ainda podemos repensar nossa história,
Reescrever por novos caminhos nossa trajetória,
Eu queria apenas te abraçar e poder lhe chamar... Meu Pai!

1 de agosto de 2012

Você e Eu

Estive pensando na busca,
Que faço de meu próprio eu,
E me deparei com o triste fato,
De que o meu querer não é meu!

Se tudo que tenho é seu,
Meu querer também é teu,
Entendeste o meu dilema?

Acredito que este não é um problema,
Você é minha alma gêmea,
Fica combinado assim,
Você e eu somos um,



Somos únicos enfim!
E antes que eu me esqueça,
Não é pra confundir minha cabeça,
Se formos um vivendo em dois,
Deixa todo este pensar pra depois!

28 de julho de 2012

Pede-Me


Dei-lhe os meus versos,
Meu sorriso, minhas lágrimas,
Por tudo isto lhe peço apenas que...

Não me permitas te deixar!
Não me deixes partir,
Se não sei por aonde ir,

Não me peças pra esquecer,
Porque só sei amar você!
Pede-me o paraíso e te darei o céu,

Pede-me uma estrela e te darei uma constelação,
Mas não peça pra que eu te esqueça,
Porque meu coração não deixa!

10 de julho de 2012

Guardei Pra Você

Guardei pra você,
Uma flor que colhi no jardim,
Um pedacinho doce de mim,
Uma saudade que não tem fim,
E o meu jeito assim!

Guardei pra você,
Um amor incondicional,
Acima do bem e longe do mal,
Com doçura sem falsa moral,
Sem cobranças ou chatice astral!




Guardei pra você
O brilho de um sorriso,
Um lugar no paraíso,
Minha perda de juízo,
E coisas que nem falar eu preciso!

Guardei pra você,
Tudo que ainda não consegui dizer,
Tudo que ainda não pude fazer,
Tudo que ainda vamos viver,
Todos os sonhos que ainda vamos ter!

Guardei pra você,
O que ninguém imagina,
Aquilo que a vida nos ensina,
Que não se acha numa esquina,
Eu vivo por você menina!

2 de julho de 2012

Qualquer Lugar


Quando um dia triste,
Faz-nos saber que a tristeza existe,
Parece difícil acreditar,
Que amanhã será outro dia,
Espera-se que tudo ainda pode mudar!

Olhar para o céu já não tem graça,
Está tão escuro, não tem lua, não tem estrelas,
E os bancos só servem de enfeites na praça,
Mesmo com toda multidão a circular,
Existe o eco do vazio, da solidão que insiste em assombrar!

E se do fundo da alma um grito ecoa,
Não importa quem pode ouvir?!
Se o tempo passa e num instante voa,
Quem pode controlar a guerra que se trava aqui.

Dentro do peito um coração em desatino,
Que chora, chora como um menino,
Que caminha só, junto a si apenas sonhos e imaginação,
Que constrói castelos, que não tem rei,
Não tem soldados, não tem muralhas!

Da liberdade escolheu as asas,
E sabe que pode voar além,
Não tem apegos, não tem nada, nem uma casa!

Passa despercebido, um João ninguém!
Moro na rua, em qualquer lugar,
Não posso me atrasar me deixa caminhar!

19 de junho de 2012

Pura Arte



Ter um amor de novela,
Na verdade é o que muitos esperam,
Que seja eterno e quente mesmo no inverno,
A ficção imita a vida,

Vida que alguém sonhou,
Aquela esperança que um dia foi perdida,
E que por acaso nos braços de alguém se encontrou,
É pura arte, arte da sobrevida,

Talvez denominada “destino”,
E a gente finge que acredita,
Que tudo isto pode ser amor,
Talvez sorte ou até mesmo azar!

Será que alguém pode o contrário afirmar?
Travam-se batalhas onde perde o vencedor,
Que acredita naquilo que ver,
E acha que fez o seu melhor,

É assim mesmo que deveria ser,
Pois a vida é um sonho que se passa acordado,
Onde se vive só mesmo que acompanhado,
Há quem diga que é mesmo assim!

E você o que acha que sente,
Quando pensa que está apaixonado?
Quando deixa o presente, abandona o futuro,

E retorna ao passado?
Então vê que fez tudo errado,
E pensando em consertar,
Faz tudo errado outra vez,

Tem coisas que não dá pra consertar,
Mas aprender com os erros é uma lição,
E com certeza não é ficção,
Mas pode dar certo se você tentar!

6 de junho de 2012

Ciclo da Vida


Não queremos nunca dizer adeus,
Ver tão triste fechar os olhos seus,
Mas o coração aperta e a gente sente,

Que dói lá no fundo da alma,
Choramos tanto, perdemos a calma,
Porque tem que acontecer com a gente?

Isto não deveria existir,
Bom seria se nunca tivéssemos que partir,
Mas é um ciclo, ciclo da vida!



As lágrimas teimam em rolar,
Os lenços já não conseguem enxugar,
A esperança é nada, parece perdida!

Mas o que posso fazer se não tiver você?
O que posso fazer se nunca mais lhe ver?
Sei que não temos a resposta!

Nem tão pouco sei onde encontrar,
Mas por você continuarei a buscar,
Um novo rumo, uma contraproposta.

Não quero chorar amigo,
Mas quero que ouça o que digo,
Eu preciso te ver sorrir!

Enxergar o brilho da esperança,
Que vence o desânimo e traz confiança,
Acredite que o melhor está por vir!

3 de junho de 2012

Coração Cigano

O que me importa,
Se partires agora, fechar a porta,
Dizer-me adeus, anunciar o fim?

Esquecer tudo que a gente viveu,
Ou simplesmente achar que nada aconteceu?
O que me importa se tem mesmo que ser assim?

Vai e não olhe para traz,
O que vais dizer? Para mim tanto faz!
Não era mesmo pra ser!



Mas se achar que alguma coisa valeu,
E subitamente o coração se arrependeu,
Então quero ouvir você dizer...

Dizer que foi tudo um engano,
Que seus atos foram um tanto insano,
E que você não me esqueceu,

Que seu coração cigano,
Tão marcado por aventuras e enganos,
Fez-te esquecer de o que prometeu.

Então vem não precisas hesitar,
Não te deixes enganar,
Vamos viver o que a vida nos deu,

Amar todo dia sob a luz do luar,
E pelo resto de nossas vidas,
Nunca mais nos separar!

21 de maio de 2012

Lágrimas


As minhas lágrimas sei por que derramei,
Não me arrependo pelas vezes que chorei,
Tudo valeu!

A noite escura já não me traz medo,
Já descobri que ela tem um segredo,
Que às vezes se confundem com os meus.

Não me pergunte, não vou te contar,
Acho que não irás suportar,
Quebrar-se a o encanto,
E o segredo perdido estará,

Cada um sabe a dor que sente,
Está-se presente ou ausente,
Não precisa apontar!

E se tiver que chorar,
Não tem por que segurar,
Deixe as lágrimas rolar,
Verás que sempre tem alguém para enxugá-las!

11 de maio de 2012

Amar-te Assim


Procurei-te no meio da noite,
Quando em minha janela sentia o vento, açoites,
Não te encontrei, teu nome gritei!

Recebi de volta o eco do meu grito,
No peito um coração, sofrido e aflito,
Por onde andas eu não sei!

Pedi a lua uma noite de luar,
E ao vento, não deixe de soprar,
Quem sabe sinto o teu perfume no ar!


Mas a noite passou e o sol nascente em esplendor,
Não trouxe o meu amor, não acalmou minha dor,
Onde mais terei que procurar?

No ápice da montanha talvez uma esperança,
Mas não sei se minhas forças alcançam,
Não custa nada, posso tentar!

Já naveguei por todos os mares,
E nada fará com que eu pare,
Meu desejo é te encontrar!

Em meus sonhos eu te vejo,
Quando acordo ainda mais te desejo,
Vou viver e te amar assim!

A distância não vai impedir,
Que eu continue a sentir,
Todo amor que por te renasce em mim.

13 de abril de 2012

Tudo Que Sonhei

Amei-te desde o instante em que lhe vi,
Algo de novo nasceu aqui,
Nasceu aqui bem dentro do peito!

E já não é mais nenhum segredo,
Está na cara que até perdi o medo,
Notável por tudo que tenho feito.

Já pensei em lhe dar um céu cheio de estrelas,
Chegue à janela e poderás vê-las,
São como seus olhos a brilhar!



Já pensei como seria no paraíso,
A gente ali sem nenhum juízo,
Vivendo apenas pra se amar!

Parece loucura tudo isto,
Mas o que pensar se é tudo que tenho visto,
A partir do instante que te encontrei!

Vou caminhar pelas nuvens do céu,
Ou no mar navegar em um barco de papel,
Se não for verdade é tudo que sonhei!

7 de abril de 2012

Alma de Poeta

Alma de poeta,
Sempre inquieta,
Prestes a versar,

Linhas contidas,
Com lágrimas sentidas,
Dê mim teu lenço para enxugá-las!
Ah! Se minha tu fosses,


Oh! Doce criatura,
Minha alma farta de amargura,
Acreditaria na sorte,

No vento rumo ao norte.
Ah! Se minha tu fosses,
Aceitaria as regras do destino,

Que faz um homem ser como um menino,
Amar sem nada pedir!
Por isto a minha alma de poeta,
Por natureza tão inquieta,

Te chama, chora e espera,
O momento certo para te abraçar,
Um amor eterno te entregar,
Pois é chagada a hora, devo partir!

18 de março de 2012

Em Busca da Aurora

Ando por ruas onde reina a dor,
Tristezas e mágoas, mágoas e tristezas,
Neste mundo tenho medo da beleza.

A minha felicidade é como flor,
Que murcha e cai ao chão,
Deixando em seu lugar a solidão!




Em cada canto existe o horror,
Sinto a presença das pessoas,
Pessoas tristes, mas boas.


Sinto também terror,
Pessoas felizes com as misérias dos outros,
Esses humanos maus e loucos!

Essa vida sem nenhum sabor,
Eu não poderia viver, por isso vou embora,
Seguindo o horizonte, em busca da aurora!

15 de março de 2012

Quero Te Namorar

Quero te namorar,
Como se fosse à primeira vez,
Olhar em teus olhos,
Sentir o coração pulsar,
E outra vez me apaixonar!

Quero sentir o arrepio,
Não como aqueles que vêm com o frio
Mas igual àqueles que a gente sente,
Quando sabe que esta amando,
E na pureza de um sentimento inocente,
Revelar todo amor que no peito está inflamando!
Quero te namorar,
Segurar em suas trêmulas mãos,
E nunca mais te deixar,
Contemplar em teus olhos o brilho da paixão,
E sentir verter sobre minha face lágrimas de emoção!

Quero te namorar,
Sem medo, sem culpa e sem juízo,
Enquanto houver eternidade,
Ou alguma coisa além do insano,
Bem distante do profano,
Que seja apenas nossa felicidade!


Por tudo isto e alguma coisa a mais,
Ainda quero te namorar,
Pra ser sincero quero te amar,
Até quando Deus quiser,
Até onde eu puder chegar!

13 de março de 2012

Aos Teus Pés

Pede-me o céu
E te darei o paraíso,
Beije-me com teus lábios de mel,


E perderei todo meu juízo,
Serei todo seu,
Totalmente entregue aos teus pés,


Dai-me o teu sorriso,
E te darei mil razões para acreditar,
Que sem você eu não vivo!

Que sem você já não posso caminhar.
Dai-me teu abraço,
E te conto um segredo meu,

Se preso estiver em teus braços,
Saberei que ninguém é mais feliz do que eu!

9 de março de 2012

Quando a Dor Me Abraça


Quando a dor me abraça,
Da alma um grito soa no infinito,
Não tem graça!!

A noite chega e somente eu e a lua,
A caminhar por estas ruas,
A esperar na estação pelo trem que passa!

Eu sei que ele não traz o meu amor,
Não sabe da minha dor,
Por isso passa sem parar!

Mesmo que ele soubesse,
Se ouvisse a minha prece,
Não poderia me falar!

Por isso quando a dor me abraça,
Fecho os olhos, sinto o vento, seus açoites,
Logo sei que passará mais esta noite,
Que não tem lua e não tem graça!

Será que se escreveu nas estrelas,
Que cheguei tarde e não pude vê-la?!
Que a brisa leve virou vendaval,
E o sereno da madrugada,
Tempestade colossal?

Sempre fico assim,
Tentando esquecer de mim,
Quando a dor me abraça,
E sei que não tem graça!

6 de março de 2012

Tempo para Amar


Quando você olha pra mim,
Este teu olhar me assanha,
Em pensamentos te devoro!
Em gestos frenéticos te imploro,
Não me deixes só!

Mas antes que meus olhos se fechem,
Já sinto no ar o que está por vir,
E posso sentir teus lábios a me tocar,
Teu perfume se exala pelo ar,
Então sei que estás aqui!


Ouço o teu sussurrar,
Como uma brisa suave em meus ouvidos,
Temos todo tempo para amar!
Nenhum momento será perdido,
Nenhum sonho será esquecido!

27 de janeiro de 2012

Hei Coração

Hei coração, o que tens?
Vejo que chora procuras alguém?
As lágrimas por que rolam?

Não precisa me dizer,
Mas se quiser, pode se soltar!
Sei que há dor, não precisa esconder,


Podes falar porque posso sentir!
Hei coração! Sou teu amigo!
Sempre estive contigo,



Já te carreguei em meus braços,
Não se esqueça de que vivo por ti,
Tenho o remédio pra todo seu cansaço,

Hei coração! Tente me escutar,
Só precisa mesmo é acreditar!
E nunca pensar em parar!

Pois se assim o fizer,
Sei que perdido estará,
Mas lembre-se, nunca vou te deixar!

21 de janeiro de 2012

Sem Limites


Quando a noite chegar,
Eu quero ser a lua pra te iluminar,
Quando sob o sol ardente,
Serei as nuvens e levarei sombras no teu caminhar,

Se teus pés já não quiserem mais nem um passo dar,
Levarei-te em meus braços,
Pra aliviar teu cansaço,
Eu serei o teu anjo,

Quando enfrentar as tempestades,
Ser levado pela adversidade,
Serei teu porto seguro,
Pode aqui teu barco ancorar!

Segurarei-te pelas mãos
Levarei-te além!
Além dos vales, das montanhas,
Muito além do que podes imaginar!

Serei luz onde houver trevas,
Sem limites, sem reservas,
Serei tua paz em meio a esta guerra,
Não tenha receio, grite!

Estarei aqui e mesmo que o mar se agite,
Não sintas nenhum temor,
Antes mesmo de ouvir o teu clamor,
Minha mão estendida estará!

15 de janeiro de 2012

Pra Sempre, Sempre Acaba

Um dia a ilusão chega ao fim,
E a gente não acredita, não imagina que seria assim,
Na verdade a gente jura que é para sempre,
Até parece que a gente não sabe que se acaba,
Que um dia o teto desaba,
É tarde pra que a gente se arrependa!

É assim quando a gente ama,
Se entrega a uma paixão,
Que é impiedosa e sem compaixão!
Machuca o nosso coração!
Não tem jeito não!
É como viver e sofrer com a ilusão,



É como viver e a cada dia morrer na solidão!
Pra sempre, sempre acaba,
Que seja eterno enquanto durar!
Na verdade um dia vai mesmo acabar!

E não adianta chorar,
Passam se as noites, chegam se os dias,
O que era já não é mais!

Não se iluda, não se perca por uma paixão,
Não se prenda por uma ilusão!
Amar é um segredo que dá medo!

Medo de não acertar!
Medo de não tentar,
De não ter a quem amar!

14 de janeiro de 2012

Conversando Com a Lua

Toda noite é sempre assim,
Quero fugir de todos e de mim,
Na verdade não sei aonde ir!

Por isto fico aqui mesmo na rua,
Na penumbra somente eu e a lua,
Sei que ela pode me ouvir!

Estou aqui conversando com a lua,
Ela me fala das lembranças sua,
Das promessas antes de partir!

Ela não se cansa posso falar sobre tudo,
Posso chorar ou até ficar mudo,
Mas ela não pode atender o que tenho a pedir!

Melhor esquecer, pois isto já não importa,
Já em casa então fecho a porta,
Sobre a cama uma fotografia!

Nela vejo teu rosto acho que está feliz,
Ali vejo que na verdade você nunca quis,
Acordar com alguém do seu lado todos os dias!

11 de janeiro de 2012

Viver e Crescer

Hei! Chega mais,
Por onde andas e o que faz?
Olhe pra você,
Diga-me então o que Vê!

Será que consegue enxergar,
Que no céu ainda existem estrelas?
Viver o presente é o que importa,
O futuro se acontecer, será,

Uma frustração não fecha a porta,
E então como é que vai ficar?
Vai esperar o sol se por outra vez,
Sem ao menos tentar?

Tentar acreditar que pode ser diferente,
Aceitar o destino que reservado está pra gente,
Eu sei que você não é assim,
Gosta das flores, rosas, violetas e jasmins,

Eu vi isto no teu jardim!
Também sei que acredita,
Que sua história já foi escrita,
E direi que ela não acaba aqui,

Não termina ali,
Então vamos caminhar para frente,
Fazer tudo e agora bem diferente,
Você pode escolher seguir adiante,

Ou parar neste exato instante,
Você tem outra chance pode escolher,
Crescer, viver e vencer!

10 de janeiro de 2012

Palavras, Nada Mais

Pra que se lembrar do meu nome?
Fazer algo que me impressione,
Acho que não vai adiantar.

Se no céu não tem estrelas,
Tudo bem, não estou aqui pra vê-las,
Só queria mesmo é te encontrar!

Olhar para o nosso céu colorido,
Reviver nosso sonho de um paraíso esquecido,
Nossos momentos que ficaram para trás!

Não me importa se a noite não tem luar,
Se disserem, “o mundo vai acabar”,
São palavras, somente palavras e nada mais!

Não pergunte como estou,
Nem queira saber o que se passou,
Não se preocupe, não vale a pena!

Siga agora o seu caminho,
Ficarei bem aqui sozinho,
Não se esqueça, já vivi esta mesma cena!

9 de janeiro de 2012

Incertezas

Hoje o sol já foi embora,
Sabe aqueles momentos,
Em que a alma chora,
Se perde no tempo, os sentimentos,
Entre quatro paredes,

Já não sei se devo armar minha rede,
Se devo acreditar, deixar de amar,
Não há respostas, sei que isto não importa,
Tenho ao meu lado o silêncio,
Um coração abandonado!
Nem mesmo o brilho da lua,
 Que mostra o caminho iluminando a rua,
Faz me enxergar a luz da razão,
Que faz bater dentro do peito um coração,
Se perde a esperança,
Apelos de fé também não alcançam,
Parece mesmo tudo perdido,

Não há mais talvez nenhum sentido,
Parece que a vida se vai,
E a gente cai na real!
De que algo não está bem,
De que não somos o dono da verdade,
Que não estamos acima do bem, nem abaixo do mal,


Estamos ali no meio tentando achar um equilíbrio,
Ser um peso, mas vivo não morto,
Não são as palavras, mas o silencio que mata,
Entre uma grande multidão e carregar o peso da solidão,
Quando um amor se vai,
Deixam as lacunas e uma dor que não sai,

Mesmo assim a gente até faz piada,
E ainda ri da situação,
Tentando esconder uma realidade escancarada,
Nossa incessante busca por uma luz na escuridão!