27 de janeiro de 2012

Hei Coração

Hei coração, o que tens?
Vejo que chora procuras alguém?
As lágrimas por que rolam?

Não precisa me dizer,
Mas se quiser, pode se soltar!
Sei que há dor, não precisa esconder,


Podes falar porque posso sentir!
Hei coração! Sou teu amigo!
Sempre estive contigo,



Já te carreguei em meus braços,
Não se esqueça de que vivo por ti,
Tenho o remédio pra todo seu cansaço,

Hei coração! Tente me escutar,
Só precisa mesmo é acreditar!
E nunca pensar em parar!

Pois se assim o fizer,
Sei que perdido estará,
Mas lembre-se, nunca vou te deixar!

21 de janeiro de 2012

Sem Limites


Quando a noite chegar,
Eu quero ser a lua pra te iluminar,
Quando sob o sol ardente,
Serei as nuvens e levarei sombras no teu caminhar,

Se teus pés já não quiserem mais nem um passo dar,
Levarei-te em meus braços,
Pra aliviar teu cansaço,
Eu serei o teu anjo,

Quando enfrentar as tempestades,
Ser levado pela adversidade,
Serei teu porto seguro,
Pode aqui teu barco ancorar!

Segurarei-te pelas mãos
Levarei-te além!
Além dos vales, das montanhas,
Muito além do que podes imaginar!

Serei luz onde houver trevas,
Sem limites, sem reservas,
Serei tua paz em meio a esta guerra,
Não tenha receio, grite!

Estarei aqui e mesmo que o mar se agite,
Não sintas nenhum temor,
Antes mesmo de ouvir o teu clamor,
Minha mão estendida estará!

15 de janeiro de 2012

Pra Sempre, Sempre Acaba

Um dia a ilusão chega ao fim,
E a gente não acredita, não imagina que seria assim,
Na verdade a gente jura que é para sempre,
Até parece que a gente não sabe que se acaba,
Que um dia o teto desaba,
É tarde pra que a gente se arrependa!

É assim quando a gente ama,
Se entrega a uma paixão,
Que é impiedosa e sem compaixão!
Machuca o nosso coração!
Não tem jeito não!
É como viver e sofrer com a ilusão,



É como viver e a cada dia morrer na solidão!
Pra sempre, sempre acaba,
Que seja eterno enquanto durar!
Na verdade um dia vai mesmo acabar!

E não adianta chorar,
Passam se as noites, chegam se os dias,
O que era já não é mais!

Não se iluda, não se perca por uma paixão,
Não se prenda por uma ilusão!
Amar é um segredo que dá medo!

Medo de não acertar!
Medo de não tentar,
De não ter a quem amar!

14 de janeiro de 2012

Conversando Com a Lua

Toda noite é sempre assim,
Quero fugir de todos e de mim,
Na verdade não sei aonde ir!

Por isto fico aqui mesmo na rua,
Na penumbra somente eu e a lua,
Sei que ela pode me ouvir!

Estou aqui conversando com a lua,
Ela me fala das lembranças sua,
Das promessas antes de partir!

Ela não se cansa posso falar sobre tudo,
Posso chorar ou até ficar mudo,
Mas ela não pode atender o que tenho a pedir!

Melhor esquecer, pois isto já não importa,
Já em casa então fecho a porta,
Sobre a cama uma fotografia!

Nela vejo teu rosto acho que está feliz,
Ali vejo que na verdade você nunca quis,
Acordar com alguém do seu lado todos os dias!

11 de janeiro de 2012

Viver e Crescer

Hei! Chega mais,
Por onde andas e o que faz?
Olhe pra você,
Diga-me então o que Vê!

Será que consegue enxergar,
Que no céu ainda existem estrelas?
Viver o presente é o que importa,
O futuro se acontecer, será,

Uma frustração não fecha a porta,
E então como é que vai ficar?
Vai esperar o sol se por outra vez,
Sem ao menos tentar?

Tentar acreditar que pode ser diferente,
Aceitar o destino que reservado está pra gente,
Eu sei que você não é assim,
Gosta das flores, rosas, violetas e jasmins,

Eu vi isto no teu jardim!
Também sei que acredita,
Que sua história já foi escrita,
E direi que ela não acaba aqui,

Não termina ali,
Então vamos caminhar para frente,
Fazer tudo e agora bem diferente,
Você pode escolher seguir adiante,

Ou parar neste exato instante,
Você tem outra chance pode escolher,
Crescer, viver e vencer!

10 de janeiro de 2012

Palavras, Nada Mais

Pra que se lembrar do meu nome?
Fazer algo que me impressione,
Acho que não vai adiantar.

Se no céu não tem estrelas,
Tudo bem, não estou aqui pra vê-las,
Só queria mesmo é te encontrar!

Olhar para o nosso céu colorido,
Reviver nosso sonho de um paraíso esquecido,
Nossos momentos que ficaram para trás!

Não me importa se a noite não tem luar,
Se disserem, “o mundo vai acabar”,
São palavras, somente palavras e nada mais!

Não pergunte como estou,
Nem queira saber o que se passou,
Não se preocupe, não vale a pena!

Siga agora o seu caminho,
Ficarei bem aqui sozinho,
Não se esqueça, já vivi esta mesma cena!

9 de janeiro de 2012

Incertezas

Hoje o sol já foi embora,
Sabe aqueles momentos,
Em que a alma chora,
Se perde no tempo, os sentimentos,
Entre quatro paredes,

Já não sei se devo armar minha rede,
Se devo acreditar, deixar de amar,
Não há respostas, sei que isto não importa,
Tenho ao meu lado o silêncio,
Um coração abandonado!
Nem mesmo o brilho da lua,
 Que mostra o caminho iluminando a rua,
Faz me enxergar a luz da razão,
Que faz bater dentro do peito um coração,
Se perde a esperança,
Apelos de fé também não alcançam,
Parece mesmo tudo perdido,

Não há mais talvez nenhum sentido,
Parece que a vida se vai,
E a gente cai na real!
De que algo não está bem,
De que não somos o dono da verdade,
Que não estamos acima do bem, nem abaixo do mal,


Estamos ali no meio tentando achar um equilíbrio,
Ser um peso, mas vivo não morto,
Não são as palavras, mas o silencio que mata,
Entre uma grande multidão e carregar o peso da solidão,
Quando um amor se vai,
Deixam as lacunas e uma dor que não sai,

Mesmo assim a gente até faz piada,
E ainda ri da situação,
Tentando esconder uma realidade escancarada,
Nossa incessante busca por uma luz na escuridão!