Textos Sugeridos pelo Autor

7 de abril de 2012

Alma de Poeta

Alma de poeta,
Sempre inquieta,
Prestes a versar,

Linhas contidas,
Com lágrimas sentidas,
Dê mim teu lenço para enxugá-las!
Ah! Se minha tu fosses,


Oh! Doce criatura,
Minha alma farta de amargura,
Acreditaria na sorte,

No vento rumo ao norte.
Ah! Se minha tu fosses,
Aceitaria as regras do destino,

Que faz um homem ser como um menino,
Amar sem nada pedir!
Por isto a minha alma de poeta,
Por natureza tão inquieta,

Te chama, chora e espera,
O momento certo para te abraçar,
Um amor eterno te entregar,
Pois é chagada a hora, devo partir!

0 comentários: