Textos Sugeridos pelo Autor

23 de dezembro de 2011

Um Novo Tempo

Sempre haverá outro dia,
Um amanhã que renasce trazendo alegria,
Não importa o que passou!

Deixe no armário guardado,
Naquele cantinho onde escondemos o passado,
Um novo tempo chegou!

Não te preocupes nem precisas esquecer,
Tome como uma lição recebeu por merecer,
Faça agora algo diferente!




Seja o dono dos seus sonhos,
Espantes seus medos e os fantasmas enfadonhos,
Caminhar é sempre pra frente!

Diga eu posso e tenha certeza que poderás,
Acredite e verás que acontecerás,
A fé move montanhas!

Com humildade toque o coração de Deus,
Que de braços estendidos estão para os que são Seus,
Bem aventurado é todo aquele que crê!

15 de dezembro de 2011

Velho Companheiro


Cada verso meu,
É um pedaço do que ainda me resta,
E não tenho pressa, ando mesmo devagar,
A vida parece mesmo uma festa,
Muitos querem sair, outros querem chegar,
Talvez busquem algo que se perdeu!

Um sentimento mal vivido,
Talvez um caso sem solução,
Um amor que ainda não foi esquecido!

Quando se sabe que está perdido,
Não importa para que lado caminhar,
Quem sabe aonde vai chegar?

Quando meus pés cansados estiverem,
Vou armar minha rede,
Aqui mesmo perto do rio,
Água tem, posso matar minha sede!

Na brisa da noite tento ignorar o frio,
Imaginando estar nos seus braços,
E sentir todo carinho que meu corpo pede.

O tempo é um velho companheiro,
De passagem sem nenhuma pressa segue lentamente,
E não importa se às vezes bate algum desespero,
O tempo tem seu próprio tempo,

Não é mais, não é menos, é simplesmente exato,
Você pode se magoar até mesmo se desesperar,
Dizer que acha tudo isto muito chato,
Mas a vida é assim, não tem outro jeito senão encarar!

13 de dezembro de 2011

Breve Resposta


Hoje caminhei pelas ruas,
Em meio à multidão frenética, estava só,
Nem mesmo todo esplendor da lua,

Que descobriam as penumbras ao redor,
Iluminava um coração sombrio,
Dava pena, dava dó!

A brisa estava fria, inquietante,
Os pensamentos vagos, tão distantes,
Mais um momento de sonhos,


Que se converte em pesadelos,
Olhar penetrante, tão tristonho,
Melhor não lembrar, nunca quis tê-los!

Há momentos que não vivemos,
Eles passam por nós como folhas, ao vento,
Levados, sabe-se lá pra onde vão!
Talvez o tempo nos diga numa breve resposta,

Tudo que busca um dilacerado coração,
A felicidade que não pode ser imposta,
Mas que bate a porta,
Daqueles que ainda tem esperança.

3 de dezembro de 2011

Sentimento Atroz


Hoje vou caminhar pela rua,
Em passos lentos, de peito aberto aos ventos,
Vou apreciar a beleza da lua,
Que vive só, entre as estrelas, assim como eu sem alento,

Hoje vou gritar no mais alto lugar da montanha,
Ouvirei o eco do meu grito,
Que traz a dor que me aperta que me assanha,
Mesmo assim eu não desisto!



Hoje vou caminhar no deserto,
Com passos lentos, movimentos incertos,
Estarei mesmo só, mas, isto já não importa mais,
É assim que vivo mesmo que em meio à multidão!

Sei que meus sentimentos me traem,
Tudo que sonhei já não me satisfazem,
O que ainda posso esperar então?

Mesmo que eu cale a minha voz,
Na minha alma aflora um sentimento atroz,
E meu grito agora mais forte ecoa no infinito!

Sei que não estarei só,
Hoje sinto que tenho asas, vou voar pelas montanhas,
Deixar o vento me levar, não tento controlar,
Viver é mais, é tudo que preciso agora!

21 de novembro de 2011

Reflexão Tardia


Cada pedaço do meu eu,
Quer um pedacinho do seu,
Fico sem saber o que dizer!

Mesmo que juntasse todas as letras,
Formando uns versos em um simples palavrear,
Ainda ficaria sem saber!

Se eu digo que é contigo,
Que quero findar os meus dias,
Dirás que estou a me iludir,
Que ainda é muito cedo pra decidir,
O que na vida inteira temos pra viver!

Sofrimento meu, reflexão tardia,
Alma triste envolta em pura melancolia
É um pedaço do meu eu,
Que vives em busca de um pedacinho seu!

Quisera ter seguido a razão,
Não enganar meu coração,
Agora tento achar em outros braços,

Talvez recuperar um pouco do que se perdeu,
Mas juntando todo desespero meu,
Continuo a procura do Seu e do Meu Eu!

18 de novembro de 2011

Sob a Luz do Luar


Não vou te procurar ao cair da noite,
Nem vou me desesperar se na lâmpada não tiver azeite,
Andarei sob a luz do luar!

Não irei chamar pelo seu nome,
Mesmo sabendo que a dor e a solidão me consomem,
Vou sentar aqui e sem pressa esperar!

Esperar que o sol se pusesse no horizonte,
Que sombras surjam entre os montes,
E que os ventos cheguem como uma brisa,

Vou me molhar na chuva fina que cai,
Deixar se misturar com as lágrimas que dos meus olhos saem,
Encontrar alguém que saiba de que o meu coração precisa!

Já me cansei de ver meus olhos chorar,
Não tenho mais nenhum lenço para enxugar,
Preciso de alguém que caminhe ao meu lado,

Que me dê sua mão ao sentir que estou no chão,
Que me faça visualizar o amor e a razão,
Que me faça feliz e sentir que sou amado!

14 de novembro de 2011

Cortina de Fogo


Cada dia é uma promessa,
Não precisamos ter pressa,
Tudo vai acontecer como deve ser!

Se de meus olhos lágrimas rolarem,
Se alguma saudade no peito bater,
Sem pressa nenhuma eu vou estar!

Vou esperar mais uma noite passar,
Ver um novo dia chegar,
Se por acaso chorar e daí? O que importa?


Já abri mesmo janelas e portas,
Deixa entrar os ventos que tragam felicidade,
Um novo sonho de liberdade!

Meu caminho é incerto,
Ora sobre o mar, ora no deserto,
Às vezes nas estrelas, tenho mil maneiras,

De olhar a vida, sentir o tempo,
O soprar da brisa nas cortinas da janela,
Sentar na calçada numa noite fria e esperar por ela!

A felicidade que brota em um sorriso,
Em um abraço, em uma palavra que me diz tudo que eu preciso,
Tudo que eu preciso ouvir e isto não têm preço!

Às vezes caminhar solitário me faz um milionário,
Não quero caminhar entre a multidão e me ver solitário,
Vivo a vida que tenho recebi a parte que mereço!

Cada um tem sua história, a minha eu faço agora,
Viajo numa cortina de fogo e não temo o que passa do lado de fora,
Se hoje aqui cheguei é por que existe uma razão,

Isto me faz caminhar mesmo que digam que não,
Que não adianta lutar, pois a batalha é perdida,
Sei aonde cheguei e o que mais quero alcançar!

11 de novembro de 2011

Meu Silêncio

Eu me calei pra ouvir o teu silencio,
Ouvir a tua voz através do vento,
Sentir o teu cheiro junto ao meu travesseiro,
Eu me calei quando simplesmente pensei.

Pensei que poderíamos coexistir,
Sem nunca pensar em partir,
Sem nunca pensar em deixar de viver,
Se bem que a morte é o renascer da vida,

É uma passagem que não se pode recusar,
Devemos passar para o lado de lá,
Mas ninguém pensa que este dia chegará,

Preparamo-nos para vida e isto é o que importa,
O que vier depois disto é consequência,
É por isto que às vezes eu me calo
E choro sozinho no meu silêncio,

Tentando ouvir os lamentos que a alma tem a dizer,
Hoje serei melhor que ontem!
Amanhã serei melhor que hoje...

Não! Não sei isto já é o futuro!
E acredite no que eu digo, eu juro,
Do futuro eu sei que nada sei!

2 de novembro de 2011

Idas e Vindas

Amo e não sei se devo amar,
Se me entrego e deixo-me levar,
Enquanto isto viajo nas estrelas,

Dia após dia eu quero vê-la,
Já não sei conduzir meus pensamentos,
Confunde-se com os meus sentimentos.



Será que tudo é um sonho meu?
Isto não é real, não aconteceu!
Acho que meu coração ainda não percebeu,

Isto é um jogo, se perde se ganha,
ÀS vezes se arranha,
E a gente vê passar a vida que não viveu!

Sei que não precisa ser assim,
A vida se renova da muitas voltas,
E numa destas idas e vindas,

A gente se encontra no meio do jardim,
Colhendo rosas, margaridas ou jasmim,
Pode ser destino, ou prenuncio do fim!

A gente sempre espera que o amanhã seja melhor,
Isto faz com que a vida seja brilhante,
Sonhos são possíveis, mesmo que distante,

Por isto vivo cada dia intensamente,
Não penso em ser diferente,
Amanhã será outro dia, se acontecer,
Assim há de ser!

26 de outubro de 2011

Sem Medo, Sem Juízo

Passeando pelo jardim,
Colhi uma flor e quis te entregar,
Mas percebi logo depois que era um jasmim,
Será que ela vai gostar?

Então busquei no céu uma estrela,
A mais linda, que brilha qual uma centelha,
Mas percebi que ela estava tão distante,
A alegria então passou, veio um sorriso frustrante.


Pensei numa estrela do mar,
Corri a praia para busca-la,
Veio uma onda impetuosa e a levou,
Na areia apenas meu rasto ficou,

Então pensei, vou lhe dar meu coração,
Entrego de bandeja em suas mãos,
Ao tocar no meu peito,
Senti que não tinha mesmo jeito!

Então não lhe prometo o céu,
Não lhe ofereço um paraíso,
Dou-lhe apenas um amor incondicional,
Uma paixão de um homem, sem medo, sem juízo!

18 de outubro de 2011

Vale a Pena Tentar


Hoje mais do que ontem,
Tive vontade de esquecer,
Esse passado duvidoso,
Que só me fez sofrer!

Vontade imensa que senti,
Que me fez pensar...
Se esse passado não existiu,
Jamais existirá! O que me leva a crer,



Que é possível recomeçar!
Por essa razão sigo em frente
Acreditando que vale a pena tentar.

Pois, por maiores que sejam as lutas,
A vitória um dia virá! E junto com a vitória,
A alegria chegará!

15 de outubro de 2011

Amar Você

Amar você é...
Esquecer o passado,
Que só me fez chorar!

Amar você é...
Despertar nos teus braços,
Não sentir o tempo passar!

Amar você é...
Olhar para o céu,
Ver as estrelas, admirar o luar!

Amar você é...
Não olhar para trás,
Seguir em frente, continuar a caminhar!

Amar você é...
Saber que apesar da distância,
Iremos chegar além!

Amar você é...
Saber que mesmo com tropeços,
É com você que vou sempre estar!

12 de outubro de 2011

Dependente

Hoje estive contanto as estrelas,

Os grãos de areia na praia,

Desisti de contar, acho que perdi a conta,

Quando olho pra você, ainda que meus olhos me traiam,

Não consigo deixar de te amar, tantas surpresas você me apronta!



Pensei em gritar pelo seu nome,

Mas foi mais fácil sussurrar, meu amor!

Se às vezes a solidão me consome,



É por que tu me deixaste dependente,

Não consigo pensar diferente,

Este é meu jeito, de te amar feito louco!



Nesta madruga de cara para lua,

Pensei naquela melodia que nos faz embalar,

E de mãos entrelaçadas em passos lentos pela rua,

Entendi a mensagem que o destino veio nos entregar!



Enquanto houver sangue nas veias,

Enquanto o coração pulsar, a gente respirar,

Não me importa que venham as barreiras,

A gente sempre vai se amar!

10 de outubro de 2011

Com Você Aprendi

Com você aprendi...
Que a vida tem sentido,
Que o mundo sombrio e triste,
Pode ser mais colorido!

Com você aprendi...
Que após uma queda,
É possível se levantar,
Que a vida é bela,
Basta em volta olhar!

Com você aprendi...
Que vale a pena sorrir,
Apesar de angústia existir,
Sempre há uma razão,
Para em frente seguir!


Com você aprendi...
Que somos dependentes de carinho,
Tal qual uma criança pequena,
Não sobreviveremos sozinho!

Com você aprendi...
Que mesmo numa noite sem estrelas,
A lua pode ser uma grande companheira,
Que um amor deve ser para vida inteira!

9 de outubro de 2011

Ontem, Hoje, Amanhã

Ontem me entristeci
Tive até vontade de chorar

Pois percebi que o amor
Pode em ódio se tornar

Hoje mais do que ontem
Estou triste e até chorei

Pois sem querer descobri
Que você não é o que pensei



Amanhã mais uma vez
Acho que me decepcionarei

Por todo amor que ofereço
Nada em troca receberei

5 de outubro de 2011

Sem Rumo


Eu te amei,
Desejei-te,
Como quem contempla a lua!

Em passos lentos,
Caminhando ao vento,
Vagando pela rua!

Fui chegando de mansinho,
Senti teu carinho,
No aconchego de teus braços,
Esqueci-me de acordar!

Logo chegou a madrugada,
Já não pensava em nada,
Tive mesmo que lhe deixar!

Tinha água nos olhos,
Mesmo sem querer chorar,
Sentir as lágrimas derramar!

Foi assim que te perdi,
Naquela noite em que parti,
Sem rumo, sem leme, simplesmente a vagar!

Hoje me lembro que te amei,
De seus beijos não esquecerei,
Perdoa-me, pois sei que errei,

Quando parti e te deixei,
Todo amor que procurei,
Só em ti encontrei!

27 de setembro de 2011

Conte-Me


Conte-me teu segredo,
O que te faz rir, o que te põe medo,
Serei o teu anjo, teu guia, o teu braço forte!

Conte-me sobre as tuas lágrimas,
Porque ainda choras,
Serei como uma brisa suave e soprarei até que sequem!

Conte-me os teus desejos,
Aflorados pelo calor de meus beijos,
Serei como o orvalho para te tocar!

Conte os grãos de areia do mar se puder,
Conte as estrelas do infinito céu azul.
Assim é todo meu amor por você!

Sinta as batidas forte do meu coração,
Saiba que Tu és a razão,
Que me faz viver, que me faz te querer,
Ainda que tão longes estejas então.

22 de setembro de 2011

Castelos de Areia


Ainda me pego em pensamentos,
Voando baixo, em plumas, levado pelo vento,
Viajar assim não custa nada!
Tento caminhar pela estrada,
Sem rumo, sem destino,
Sou como folhas secas, borboletas!

Não preciso saber aonde este caminho vai me levar,
Preciso apenas chegar, onde não importa,
Não preciso aprender o caminho,
Não pretendo mesmo voltar!
Quando a escuridão da noite me abraçar,
Ainda terei a lua para me acompanhar!

Cavalos e seus cavaleiros que me levam a cavalgar,
Se isto sonho for, não quero mais acordar,
Ver a vida passar, sem me preocupar com o tempo,
Vamos fazer de conta que esta história não tem fim,
Que os castelos mesmo que sejam de areia,
Tem um espaço reservado para as flores no jardim!

Pensamentos são livres, quem os pode deter?
São grãos de areia, quem os pode contar?
O meu pensar me faz viajar,
Leva-me a te encontrar,
Faz-me te abraçar, te amar e te desejar,
Sempre fico assim, quando penso em você!

15 de setembro de 2011

Tarde Demais

Tarde demais, eu já perdi teu carinho,
Já não tem volta, este é o destino,
Tal qual um passarinho, longe do ninho,
Meu caminhar é sozinho, assim vou seguindo.

Hoje olhei nosso quarto, a cama deserta,
E a saudade sem graça, meu peito aperta,
Mas é tarde demais pra querer voltar atrás,
A dor que ficou não se desfaz.

Hoje aprendi, sei que a vida ensina,
Sempre vou me lembrar de você menina,
Tão doce, tão linda, tão minha!

Agora distante, só me resta sonhar,
Só me restam lembranças das noite de luar,
Então vejo você chegar e não mais me deixar!

10 de setembro de 2011

Cativos e Fugitivos

Eu não queria falar da fome,
Da miséria que a um povo consome,
Não pude segurar ao ver aquela cena,
Crianças, jovens, adultos que a esmo caminhavam,
Que imploravam, gritavam aos estranhos que passavam,
É doloroso, cruel, sub-humano, digno de pena.


Confesso que chorei, talvez até pecasse,
Quando me perguntei: Onde está Deus?
Vi aquela gente, aqueles animais de sede morrendo,
De fome sucumbindo e eu nada fazendo,
Pra aliviar a dor, a angústia, os sofrimentos seus,
O que poderia fazer? Confesso que não sei!


Os poderosos levam milhões para produzirem uma guerra,
Constroem máquinas capazes de destruírem a terra,
Mas são incapazes de estender a mão há um povo que sofre,
Que são incapazes de se comoverem com o choro incontido de uma criança,
Que nasce numa terra, sem vida, sem alento, sem esperança,
Não consigo acreditar no que os meus olhos veem!


E ainda dizem que lutam pela paz mundial,
Que se acham acima do bem e do mal,
E criam entidades que se dizem e intitulam mediadoras da paz,
Mas não conseguem acabar com a dor de um povo,
Que nunca viu nascer um dia novo,
Porque a sua dor, seus lamentos e sua sina, não se desfaz.


São filhos da mesma terra que se matam entre si,
Estão armados e programados para se destruir,
A noite chega, o dia amanhece e nada acontece,
O socorro não chega, gritos ecoam no infinito,
Mas quem pode ouvir este clamor, este pedido de socorro,
Enquanto isto toda esta multidão no deserto perece.


Pobre povo somaliano, envoltos em desgraças e desenganos,
Enquanto isto o mundo assiste calado o massacrar de um povo,
Esquecido, fugitivo e cativo em sua própria terra,
Sei que eles vão continuar clamando, vão continuar esperando,
Alguém ainda vai ouvir, hão de se acreditar na esperança,
No renascer da vida, no cessar da fome, no findar da guerra!



2 de setembro de 2011

Nunca Mais

Ainda escuto teu adeus,
Aquele grito de nunca mais,
É uma frase curta, mas tem o tamanho de um oceano,
A imensidão do deserto, de um caminho incerto,
Não quero ouvi-la jamais!

Ainda escuto no teu silêncio,
E vejo no teu olhar,
A dor de uma saudade, misturada com a ansiedade,
Tenho mesmo é pena de lhe ver chorar!

Sentir que o teu caminhar solitário,
É como a lua que vaga entre as estrelas,
E se perde na imensidão!
Todos os dias volto sempre ao mesmo lugar,
De esperança bate forte meu coração,
Sempre venho aqui para vê-la!

E aquele grito de nunca mais,
Hoje eu sei que ficou para traz,
Aquele deserto frio agora se encontra com um rio,
De águas cristalinas, como os olhos daquela menina,
Vejam só o que o amor nos faz!

Toda riqueza é nada quando a vida é sem amor,
Todo amor é nada se não tem chama, nem calor,
Por isso nunca mais não pode existir!
Sempre há um recomeço, há sempre um pretexto,
Para não deixar as chamas se apagar,
E nunca pensar que devamos partir!

18 de agosto de 2011

Entre a Cruz e a Espada


Só queria lhe dizer,
Mesmo que não queira perceber,
Ti amo mesmo assim!
Mesmo que você não me dê às respostas,
Tanto faz, já não mais importa,
Nos meus sonhos estás junto a mim.

E seu eu gritar pelo seu nome,
Vem depressa, pois a dor me consome,
Não me deixe sozinho aqui!
Não quero acordar e perceber que você não está,
Não quero chorar, sem ter você a me consolar,
Diga que jamais vais partir!

Parece ser este o meu destino, viver entre a cruz e a espada,
Em passos largos a se perder pela estrada,
Diga-me que é só um sonho, vai passar!
Diga-me que quando o dia clarear pela manhã,
Cessará esta dor que me assanha,
E deste sonho não vou acordar!

Não quero perder este encanto,
Que retira e enxuga do meu rosto o pranto,
O desejo de te amar, te desejar!
Hoje sei que brilha mais uma estrela,
E nesta noite eu quero vê-la,
Como guia pela estrada a me iluminar!

Quando eu acordar sabe que vou me lembrar,
Que não foi apenas um sonho de um sonhador,
Nem a paixão de um grande amor que se vai,
Tenho você em meus braços, sinto teu apertar,
Lá fora o frio e a chuva fina que cai,
Não pode ofuscar todo este esplendor!

9 de agosto de 2011

Perfeita Flor


Tenho mil razões para acreditar,
E muito mais para te amar,
Em você faço meu destino,
Abraçar-te é um prazer,
Com palavras não posso descrever,
Junto a Ti até pareço um menino!



Amar-te todo dia, toda noite a qualquer hora,
A tristeza vai embora, a alma já não chora,
Isto sim acredito que é viver!
Nosso amor não tem limite,
Solidão vai embora não insiste,
Você perdeu, você mereceu, tenho que lhe dizer.

Nosso amor à gente inventa,
Solidão pode ir sei que não aguenta,
Veja por onde o amor nos levou,
Olho para esta estrada, até pensei em não pedir nada,
Sabendo que caminhas ao meu lado,
E que é todo meu somente meu, o teu amor!

Ah! Se as cortinas pudessem falar,
Se os lençóis pudessem gritar,
E ao mundo inteiro anunciar,
Que somos cúmplices no amor,
Que nossa paixão tem outro sabor,
Tem o perfume de uma perfeita flor!

8 de agosto de 2011

Menino da Rua


Hei menino da rua!
Que pede esmola no farol,
Que joga bola, solta pipa com cerol,
Que passa as noites sob a luz da lua.

Hei menino da rua,
Que briga com a fome,
Que o craque consome,
De pele sensível e nua!



Hei menino da rua,
Que tem um sonho de vida,
Uma esperança quase perdida,
Alguém se importa com vida sua!

Hei menino da rua,
Volta pra casa, pra debaixo das asas,
Você ainda tem uma mãe!
Que todas as noites espera a volta tua!

22 de julho de 2011

Qualquer Coisa

Se for para escrever qualquer coisa,
Melhor não escrever nada,
Mas se toda e qualquer coisa que eu escrever,
Fizer parte do nada que vives agora,
Não hesite, sei que vais ler!

Qualquer coisa que talvez não tenha valor,
É meramente elementar, há de se pensar,
Dependendo do momento, da necessidade,
A gente se apega ao que encontrar!

Então tudo aquilo que parecia qualquer coisa,
Agora é algo de valor, não há vergonha nem pudor,
Se conselho fosse bom não seria dado, mas vendido,
Porém quem avisa amigo é, ouça os sábios, parece garantido!

ÀS vezes trocamos palavras por palavras,
Parece tudo tão repetitivo, acho que já disse isto antes,
E assim o tempo passa e a todas aquelas quaisquer coisa,

Agora passa ser algo de tão grande serventia,
E escrevendo algo que seria nada,
A gente joga para fora tudo aquilo que sentia!
Assim os dias passam e a gente ainda pensa que tudo é nada,

Mas as pegadas ficaram na estrada,
Hoje já se foi, passamos por aqui!
É assim a vida, mesmo que seja qualquer coisa,
Faça algo, pode ser muito bom!

18 de julho de 2011

O Que Você Pode Fazer


O que você faria se soubesse que amanhã não mais existiria?
Se soubesse que pela manhã não mais acordaria?
Se não pudesse mais ver a luz do sol?
Se em alto mar já não pudesse ver o farol?

Já parou pra pensar que se morre a cada dia,
Quando não vivemos o presente, construindo o amanhã?
Que a vida é muito mais que isto, que você vê!
Que a vida está aí e o que você precisa é apenas viver!

Não se entregue sem ao menos tentar,
Lute contra tudo, contra todos, se isto preciso for!
Você pode mais do que imagina, procure o ápice!
Veja os fatos e pense de maneira diferente, pense como vencedor!

Porque se você parar, não há mais o que fazer!
Ninguém poderá lutar por você, a decisão é sua!
Você pode lutar e vencer, pode se acovardar e perder,
Você é o aprendiz, o mestre e o juiz,
Então pense o que você pode hoje fazer?

14 de julho de 2011

Tarde Fria

Busquei entre os arquivos, entre os livros,
Uma lembrança, talvez uma fotografia,
Que me trouxesse alguma lembrança sua,
Mas nem mesmo caminhar pelas ruas,
Faz-me esquecer desta verdade nua e crua,
Você morreu, naquele adeus, naquela tarde fria!

Pra que serve as lembranças?
Quando se foi também a esperança?
Existem caminhos que apontam numa única direção,
Existem momentos em que vale ouvir o coração,
Agir somente com a razão,
Esta é a proposta que sigo deste então.

Hoje a noite já tem luar,
Até as estrelas voltou a brilhar,
E porque não lembrar que temos motivos para amar?
Às vezes é assim que acontece,
Não é preciso fazer nenhuma prece,

O destino cuida para que tudo aconteça,
Logo que o dia amanhece!
Nada como um dia após o outro,
A vida continua e a gente apenas agradece!

11 de junho de 2011

Procura-se


Procura-se um remédio,
Com poder de regenerar um sentimento chamado tédio,
Com poder de encurtar a distância,
De uma doença chamada saudade,
Que invade a alma da gente,
E nos leva a viver em um mundo ausente,
De sentimentos, de amizades, de liberdade!
Procura-se um remédio para esta crueldade!


Se tiver que procurar, por onde começar?
E se não encontrar, vale a pena insistir,
Se  pedras no caminho rolar,
Se meus pés não quiserem mais caminhar,
Mesmo assim há razão para seguir?

Procura-se um desejo que de muitos fugiu,
Que ainda não eclodiu,
Ou talvez nunca existiu!
Ajudar a quem precisa ser ajudado,
Amar a quem precisa ser amado,
E em troca nada pedir,
Abrir as comportas e apenas deixar fluir!

Aguas cristalinas que se renovam,
De fontes que nunca secam,
Procura-se um remédio,
Que consiga acabar com uma dor,
Que invade o peito,
Que pensas, já não tem mais jeito,
Procura-se um remédio,
Sem contra indicação, sem efeitos colaterais,
Que nos ajude a acabar com todos aqueles “ais”,
Procura-se um remédio!!!




7 de junho de 2011

África

Ouvi o seu lamento,
Por que choras lágrimas tão sentidas?
Nos campos miséria, fome, noites ao relento,
Infância, juventude, inocência, todas foram perdidas!

O seu grito já sem forças parece em vão,
Não há quem possa ouvir, não há quem possa lhe acudir,
Já estão traçados os caminhos, sua vida, sua morte ou não!
Quem poderá tua sina impedir?

África, lugar de fome, dor e de pena,
Só de imaginar já repudio a cena!
Ver uma criança chorar e pouco poder ajudar!

África, amiga e irmã, lugar esquecido,
Quem se importa se teus sonhos e filhos foram perdidos,
Se dos teus olhos uma lágrima rolar?

10 de maio de 2011

A Força do Amor

Hoje senti o sol que se tecia a meia noite,
Em minha janela ventos traziam acoites,
Não vi a lua chegar!
Estava olhando as estrelas no céu,
Que pintavam ao longe um colorido véu,
E me ensinavam o caminho a trilhar!

Foi assim que vi no teu olhar,
A doçura de quem sabe amar,
E por um momento quis me entregar!
Deixar as ondas nos levar,
Esquecer os remos em alto mar!
Tudo isto pra não lhe deixar!

Amar-te é um sonho lindo,
Ver-te cada dia aqui sorrindo,
E dizendo-me que o amor vale mais,
Dizendo-me não se entregue jamais!
Eu acredito na força deste amor,
Não sou apenas mais um sonhador!

Vou abraçar meu travesseiro,
Dormir e sonhar sem querer acordar!
Abraçar seu corpo por inteiro,
E nunca mais te deixar!
Falar baixinho aos teus ouvidos,
Palavras doces que revelam o amor vivido!

Que revelam o que ainda temos por viver,
O que ainda temos a receber!
Quando isto acontecer, vou gritar ao vento,
Gravar todos estes momentos,
Ao seu lado este viver vale a pena,
Ao seu lado nosso amor reina!

27 de abril de 2011

Conto de Fadas

Hoje descobri que o passado é um fardo,
E a gente carrega, não percebe quando fica cansado,
Ainda choramos pensando nele!
Não vivemos o presente, não amamos o bastante,
Pra seguir em frente, o futuro parece tão distante,
O passado é uma prisão que ao lado segue.

Não amamos quem nos ama,
Não choramos com quem chora por nós,
Sofremos a sós!

A sós com nossas angústias,
Com nossas tristezas, com nossos pesadelos.
Com isto morremos a cada dia e pensamos como seria,
Se tivéssemos aquilo, se tudo aquilo tivesse acontecido,
Mas não aconteceu e às vezes vivemos na ilusão,
De que um dia tudo novamente será como antes,
Engano! O coração se engana e nos leva junto.

Às vezes acreditamos em um sonho,
Em um conto de fadas mesmo sabendo que elas não existem,
Se é que um dia existiram!

Colocar os pés no chão é preciso,
Acordar para vida que todo dia revive ao nosso lado,
Que logo ao acordar nos diz ainda estou aqui!
Se sonhares assim, este sim vale a pena!

22 de abril de 2011

Destino Meu

Gritei ao vento numa noite fria,
Senti a chuva fina que em meu rosto caia,
Não vi você partir, não te ouvi despedir!
E agora o que faço, sem o teu abraço?
Sem teu amor eu não me acho,
Como esquecer tudo que já vivi?

Vou caminhando mesmo assim,
Deixo o destino me guiar,
Ainda há flores em meu jardim,
Levarei uma pra te dar!

Pois sei que vou te encontrar,
A vida dá muitas voltas e numa destas você vai estar,
A gente vai se encontrar outra vez!
Pra cada folha que cai nasce outra em seu lugar,
Pra cada lágrima que rolar, tenho um lenço pra enxugar!

Vou te esperar mesmo que seja sonho meu,
Vou te amar mesmo não recebendo um beijo seu,
Mesmo assim vou te esperar!
Sei que vais voltar!

Não me digas para esquecer,
Não tente me convencer!
Vou dormir e sonhar contigo,
Acredite no que eu digo,
Amar-te é um destino meu!

1 de abril de 2011

Carruagem de Fogo

Prefiro não dizer adeus,
Pois não quero te ver partir,
Se uma lágrima dos teus olhos cair,
Quero enxugar com um beijo meu!

Se a noite chegar e em trevas o dia se tornar,
Quero acender um farol e fazer a luz brilhar,
Por onde caminhares guiarei os teus passos,
E se Te cansares te levarei em meus braços!

Um dia ainda faço o tempo parar,
Peço ao mar para se acalmar,
E te juro amor eterno!

Levo-te em minha carruagem de fogo,
Acredite, não é um discurso de demagogo,
Quero sim te aquecer neste inverno!!!

17 de março de 2011

Céu de Estrelas

Quero viajar nos teus sonhos,
Afagar-te os cabelos, fazer um carinho,
Quero te levar comigo!
Pois sou água de rio, meu destino é o mar,
Sou vento, sou tempestade,
Meu destino é te amar!

Sou areia no deserto,
Se não tenho você por perto,
Sou folhas secas levadas pelo vento,
Que não tem destino,
Caminho sozinho, já não sei o que sinto,
Sorriso de menino, doce lamento.

É assim que vou pela estrada,
Já não tenho certeza de nada,
Se o amanhã chegar, deixa rolar,
Mas se não acontecer quem vai perceber?
Quem poderá escutar,
Os lamuriantes gritos de uma alma em prantos a verter?

É assim que vou, é assim que eu sou,
Águia solitária voando no infinito,
No silêncio da noite, sinto o vento, seus açoites,
Viajo então em pensamentos,
Relembrando o passado, nossos momentos,
Que se perderam no infinito de um lindo céu de estrelas.

3 de março de 2011

Recomeçar

Viajo em pensamentos, em passos lentos,
Meu destino é incerto, sem você por perto,
Minhas lágrimas são frias,
Lágrimas que desce noite dia,
Sem você meu caminho é deserto,
Abraço o travesseiro, sobre o peito aperto,

A solidão insiste você não está presente!
A distância é um castigo, te quero comigo,
Vou arriscar deixar as ondas me levar,
Há um porto seguro, meu amor eu lhe juro,
Não aprendi, não consegui ouvir teu adeus,
Quero sentir e mais uma vez olhar nos olhos teus,

E direi que eu te amo que eu te chamo,
Vem ficar comigo, meu sonho é contigo,
Deixa que eu te abrace que te aperte,

Não fale nada, apenas caminhemos por esta estrada,
Esqueça o que passou e não pense em mais nada,
Estou aqui, vamos realizar nossos sonhos,

Um novo começo eu te proponho,
Eu não te esqueci, você não me esqueceu,
Então vamos recuperar tudo que a gente perdeu!

22 de fevereiro de 2011

Sempre Vou Te Amar


Por onde quer que eu vá,
Tenho você comigo,
Viajando em pensamentos,
Meu sonho é contigo!

Por onde quer que eu vá,
Há sempre uma razão,
Que me leva a loucuras,
Reviver aventuras,

De uma vida a dois, de uma paixão!
E por mais que eu tente,
Esquecer-te não é possível,




Você é parte desta brisa envolvente,
Que me faz enxergar o que parece invisível!
Por onde quer que eu vá,

Sempre vou te encontrar,
Por onde quer que eu vá,
Sempre vou te amar!

2 de fevereiro de 2011

Lábios Calientes

Meus olhos se fecham e o que eu vejo,
Teus olhos brilhando, lábios caliente,
Um coração palpitante cheio de desejos,
Te busco em meus versos a todo instante!

Meus olhos se abrem e a verdade aparece,
Teus lábios caliente agora tão distante,
Levanto as mãos ao céu, invento uma prece,

Para acalmar este meu coração agonizante!
Que hoje sente o que os olhos não veem,
Que hoje sonha com o que não se tem
Que hoje vive pelo que se imagina!

O que posso dizer para este coração?
Que não tem paz, que morre de paixão,
Que sonha, sofre e chora por você menina!