18 de novembro de 2011

Sob a Luz do Luar


Não vou te procurar ao cair da noite,
Nem vou me desesperar se na lâmpada não tiver azeite,
Andarei sob a luz do luar!

Não irei chamar pelo seu nome,
Mesmo sabendo que a dor e a solidão me consomem,
Vou sentar aqui e sem pressa esperar!

Esperar que o sol se pusesse no horizonte,
Que sombras surjam entre os montes,
E que os ventos cheguem como uma brisa,

Vou me molhar na chuva fina que cai,
Deixar se misturar com as lágrimas que dos meus olhos saem,
Encontrar alguém que saiba de que o meu coração precisa!

Já me cansei de ver meus olhos chorar,
Não tenho mais nenhum lenço para enxugar,
Preciso de alguém que caminhe ao meu lado,

Que me dê sua mão ao sentir que estou no chão,
Que me faça visualizar o amor e a razão,
Que me faça feliz e sentir que sou amado!

2 comentários:

André Miranda disse...

Adorei o blog,vou voltar com mais tempo para ler os outros escritos.Estou te seguindo!Visite o meu,também escrevo e vou gostar muito de ter seus comentários.

Um grande abraço.

Katrine disse...

Seu poema me lembrou de uma música, não sei porque. Flores - Titãs.
Belas palavras.

Abraços e uma ótima semana.

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para fazer seus comentários, lembrando que comentários anônimo serão permitidos porém não serão publicados!


Cleilton F. Vieira
cleilton@msn.com