7 de setembro de 2012

Desamor

Céu azulzinho,
Era meu mundo quando tu estavas nele;
Sem nuvens escuras,
E a chuva que vinha era pra lavar nossas ardentes almas.

Porque somente tu me acalmavas
Com teu olhar, tuas loucuras,
Teu prazer de existir.

Mas a tempestade comodamente acabou por vir
E esvaziou-me,
Deixando o vazio, o desprazer,
A falta de objetivo.

Porque você era um bom amigo.
Pena que o tempo levou o que havia em mim
Por ti.

1 comentários:

Juli Pallmer disse...

Olá, boa noite
Muito bonito o teu versejar. Muito amor e saudade nas linhas da poesia.

Janela grande esta, deu-me saudade lá de casa.
beijo com meu carinho
prazer em conhecer-te!
Bem haja

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para fazer seus comentários, lembrando que comentários anônimo serão permitidos porém não serão publicados!


Cleilton F. Vieira
cleilton@msn.com