5 de dezembro de 2008

Folhas Secas

Qual o preço da dor,
De quem perdeu um grande amor?
Quem pode contar as lágrimas gotejadas,
As noites mal dormidas,

Os sonhos esquecidos?
Qual a razão para sonhar,
Se vamos acordar,
E o real esta ali preste as nos tragar!?


As vezes somos como folhas secas,
Levadas ao vento,
Nos perdemos em pensamentos,
Que nos traz de volta ao centro,

Centro de nossas incertezas,
De nossas angústias!
Daí vemos que o ciclo continua,
Passamos sempre na mesma rua,

Parece que nada mudou!
Que o que estamos vendo,
Já vivemos,
Que algumas vezes morremos,

Para ressuscitar e lutar novamente,
Renascer para um único objetivo,
Sobreviver...
Sobreviver a cada dia

Esquecer a dor sem anestesia,
E gritar consigo mesmo,
Já é dia, o sol raiou,
E recomeçamos tudo outra vez!

0 comentários:

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para fazer seus comentários, lembrando que comentários anônimo serão permitidos porém não serão publicados!


Cleilton F. Vieira
cleilton@msn.com